Exibir mensagens

Esta seção lhe permite ver todas as mensagens deste membro. Note que você só pode ver as mensagens das áreas às quais você tem acesso.


Tópicos - flávio

Páginas: [1] 2 3 ... 10
1
Fórum principal / Blancpain extra plano em aço
« Online: Ontem às 15:30:52 »
O design é super simples, a data não me agrada tanto (eu tenho um Zenith Elite também extra plano no qual a data se equilibra no mostrador com o contador de segundos às 9 horas. Normalmente não gosto de data em relógio...) e, convenhamos, 8.5 mm não é tão fino assim (mesmo meu Zenith é mais fino, com cerca de 8...). Porém, é um Blancpain, equipado com um movimento super bem acabado, com rotor em ouro com guilhoche, 100 horas de reserva de marcha e espiral em silício. E tudo isso por cerca de 8000 dólares em aço, praticamente o preço de um relógio "mediano" no mundo da relojoaria de luxo.

Para quem se envereda nos ternos dia após dia, certamente é uma boa opção.


https://watchesbysjx.com/2020/06/blancpain-villeret-ultraplate-6224.html

2
Fórum principal / Moser Endeavour Cylindrical Tourbillon
« Online: 03 Junho 2020 às 14:48:12 »
Na verdade, são dois os lançamentos. Em um deles, o modelo MB&F foi apenas "moserizado", usando a mesma expressão do articulista, através da adição dos seus conhecidos estilos de mostrador.

O modelo em turbilhão não... O movimento é fabricado pela Moser e utiliza, algo não usual na relojoaria atual, sobretudo pela espessura que acarreta, mola espiral helicoidal. Esse tipo de mola visava a concentricidade máxima da mola e um melhor isocronismo e era muito usual, para não dizer a regra, nos cronômetros marítimos. Além disso, foi adicionado um turbilhão e, pior, um mostrador inclinado acoplado a um conjunto de engrenagens de minuteria também inclinado. Coisa bonita de ser ver, mecanicamente falando.

Tenho lá minhas dúvidas se é um relógio de fato "usável", pois beira os 20 mm de altura, mas como tudo da MB&F é mais uma mini obra de arte funcional do que outra coisa, ficou legal. Gostaria muito de ver um ao vivo... E não é tão caro assim (muita cautela com o que estou dizendo...) dentro do mundo da relojoaria de alto nível, custa cerca de 80 mil dólares, mais barato que muita coisa aí sem identidade e supostamente feita artesanalmente.

https://www.hodinkee.com/articles/h-moser-x-mbandf-endeavour-cylindircal-tourbillon-and-the-mbandf-x-h-moser-lm101-introducing

https://www.ablogtowatch.com/h-moser-cie-x-mbf-collaborate-steel-watches/

https://watchesbysjx.com/2020/06/h-moser-mbf-endeavour-cylindrical-tourbillon.html
Flávio

3
Fórum principal / Hublot BIG BANG E
« Online: 02 Junho 2020 às 16:55:13 »
Pegaram o módulo que equipa os Tag Heuer Smartwatch, colocaram numa efetiva caixa da Hublot, um preço de quase 6 mil dólares, e é isso, nem sei o que comentar...

https://www.hodinkee.com/articles/hublot-big-bang-e-introducing

4
Fórum principal / Wempe Iron Walker
« Online: 25 Maio 2020 às 15:43:36 »
Gostaria de saber de onde o departamento de marketing da Wempe tirou esse nome, que certamente entrará nos anais da relojoaria, talvez com o Alpine Eagle da Chopard, como um dos termos mais "méh" que já vi. Parece nome de pneu... "Novo lançamento, Bridgestone Iron Walker!" Ou, "vejam a aderência dos novos Alpine Eagle!".

Nomes a parte, parece que os braceletes integrados estão de volta mesmo, ainda que as marcas tenham que "chupar" na cara dura designs anteriores: só eu achei esses Iron Walker muito, mas muito parecidos com os IWC Ingenieur dos anos 90?

São belos relógios, preço até razoável, mas não pude deixa de notar isso. Vejam

https://monochrome-watches.com/wempe-iron-walker-collection-steel-sports-watch-integrated-bracelet-new-price/

5
Fórum principal / Glashutte Original Panomatic Forest Green
« Online: 22 Maio 2020 às 17:17:00 »
O Forest Green deles, cuja inspiração são as florestas alemãs, para mim ficaria melhor como "mosca varejeira". E não é que gostei? E muito! O mostrador não é pintado de verde, a cor é resultado do processo de galvanização (assim como os supostos mostradores brancos das fotos da Nomos, na verdade grafite, também não são pintados...). O modelo Panomatic dispensa apresentação e, muito embora eu já tenha visto alguns dizerem que se trata de um Lange 1 de pobre, o modelo na verdade pode ser encarado como uma justa proposta alemã, de altíssima qualidade, visual singular e com sacadas técnicas ainda singulares, como o big date em plano único. O preço realmente não estupra no mundo da relojoaria, o modelo efetivamente parece mais caro do que é, e já tive alguns em mãos: custa menos de 10 mil doletas.

https://monochrome-watches.com/glashutte-original-panomaticlunar-forest-green-hands-on-review-price/


Ps. Ainda acho esse calibre um dos mais singulares da indústria, com sua ponte dupla para o balanço com decoração feita artesanalmente e micro (ou médio? hahaha) rotor alinhado com o balanço.

6
Fórum principal / Shapiro com mostrador guilloche e outros tópicos...
« Online: 22 Maio 2020 às 11:07:35 »
Joshua Shapiro, um mestre em História, enveredou-se na relojoaria há cerca de 8 anos e, depois de muita experimentação, lançou seus primeiros relógios, que utilizam movimentos alemães da companhia "irmã" da Lang & Heyne, coisa de altíssimo nível. Mas o que o tornou conhecido foram os mostradores em guilloche, inclusive utilizando padrões de desenho nunca antes utilizados por nenhum outro relojoeiro na história, tal a dificuldade de se produzir. Cada mostrador dele, para terem uma ideia, demora entre 100 a 150 horas de trabalho para ser concluído, espaço de tempo no qual Omega, Rolex e seus robôs devem produzir cerca de um milhão de relógios, cobrando caro por isso...

Não sabemos ao certo quem primeiro implementou a técnica na relojoaria, mas os primeiros exemplos conhecidos e produzidos com certa regularidade o foram por Lepine. Mas Lepine não fabricava seus mostradores, aliás, como já ressaltei aqui, essa história do relojoeiro totalmente independente e que faz tudo (no padrão George Daniels, Derek Pratt e cia...) é coisa mais moderna do que antiga: no passado, a divisão de trabalho, que ainda é a tônica na indústria suíça, prevalecia. Então, Lepine não fabricava seus mostradores o que, aliás, é uma especialidade altamente complexa da relojoaria. Se ele os projetou e delegou a terceiro, é outra conversa...

A popularização do mostrador em guilloche, porém, é certa: ocorreu com Breguet. E adivinhem de quem Breguet foi discípulo? De Lepine... E adivinhem quem fabricava os mostradores Breguet? O mesmo artesão que fazia para Lepine... Uma coisa é certa, até mesmo porque Breguet projetava seus movimentos e os mostradores tinham que refletir isso: ele provavelmente também projetava os intrincados padrões dos seus mostradores que, aliás, ainda se refletem na manufatura atual. Porém, não os fabricava.

Shapiro não nega que bebeu na fonte de Daniels e Pratt, que beberam na fonte de Breguet.

O último lançamento dele é inusitado: um mostrador guilloche feito em meteorito. Pode parecer coisa simples, mas não é, pois o escolhido é composto de traços de ferro e níquel, sendo que cada um dos metais tem pontos de dureza diferentes e, portanto, necessitam de uma força diferente aplicada à máquina. O resultado, como podem ver no link abaixo, é belíssimo e o relógio, pelo que é, não é tão extorsivo assim: 20 mil dólares.

https://www.hodinkee.com/articles/infinity-series-p01-by-jn-shapiro-for-collective-introducing

Mas eu indico, além disso, essa palestra, na qual o próprio Shapiro conta a história do guilloche, sendo que muita coisa eu sequer sabia. Por exemplo, eu não sabia que 60% dos padrões utilizados pelos relojoeiros na história foram feitos não em uma máquina roseta, aquela comum que vemos em anúncios de marcas, mas em máquinas de traço reto. Por óbvio, uma máquina faz padrões circulares, a outra, padrões retos. Eu já operei uma máquina de padrões circulares na Breguet, como já mostrei aqui. Nos padrões retos, há um detalhe que sequer tinha conhecimento: como as linhas acabam irregularmente em algum ponto do mostrador, sempre as fábricas irão "esconder" os erros finais de acabamento dos entalhes com um padrão circular ou, o que é mais comum, adicionando uma moldura de submostrador (como o Shapiro, inclusive, faz). Na palestra, ele indica a extrema dificuldade em se fazer os padrões, uma vez que uma mera distração arruina todo um mostrador. Nas grandes fábricas, aliás, ele ressaltou que o trabalho ainda é manual (como na Patek e Breguet), mas com divisão de trabalho, sobretudo para aumentar a produção, como para evitar erros: um operador prepara o mostrador, outro o acopla na máquina, um faz o padrão, outro o polimento, e assim por diante. E muitos fodões da indústria, tal a complexidade, sequer arriscam fazer. Exemplo? Dufour. Sim, Dufour subcontrata seus mostradores a terceiros.

A palestra é em inglês e, portanto, exige o conhecimento da língua. Os vídeos a partir de 1h04 não... Devem assistir. Neles o Shapiro demonstra como faz um dos padrões, criado por ele, mais complexos que existem na arte, o "cesto pequeno dentro do cesto grande". Caras, sério, acho que qualquer pessoa, leiga ou não, consegue só ao assistir a esses vídeos ter uma noção da extrema complexidade do trabalho. Pior: ele foi humilde, porque mostra a partir de 1h10m36 um diminuto erro, um deslize no giro da máquina de corte (coisa da espessura de um fio de cabelo). Resultado? Mostrador de prata descartado...

Vale a pena ver, pois temos a tendência de menosprezar os demais ofícios da relojoaria, como a fabricação de mostradores, ponteiros, caixas, em prol do mecanismo, sendo que a parte visual do relógio é, ou deveria ser, a mais importante. Muito boa essa palestra, recomendo aos que falam a língua assistirem e, aos que não falam, pelo menos assistirem aos vídeos acima indicados.


https://www.youtube.com/watch?v=b-6B776Hw3I


Flávio

7
Fórum principal / A fabricação de um Royal Oak
« Online: 19 Maio 2020 às 16:58:32 »
Eu lembro de já ter divulgado aqui um destes vídeos, a fabricação do mostrador, mas não os demais. Muito trabalho de polimento envolvido, vale a pena ver a sequência

https://www.watchcollectinglifestyle.com/home/experience-the-making-of-an-audemars-piguet-royal-oak

8
Fórum principal / Livro de colorir para crianças da Omega
« Online: 13 Maio 2020 às 17:15:00 »
O recebi há cerca de 10 dias via zap, mas esqueci de replicar o link aqui. Ei-lo, deixará os melequentos distraídos por horas...

https://www.omegawatches.com/en-us/coloringbook

9
Fórum principal / Patek Philippe Alarm Travel Time
« Online: 07 Maio 2020 às 16:28:27 »
Não se iludam: este movimento é complicadíssimo, possui despertador ajustável e toque como se fosse um repetidor de minutos (ao contrário do crrrrrrrrrr de um Cricket, por exemplo), é feito em platina, custa 250 MIL FUCKING DOLLARS. E... Se não possuísse o nome Patek no mostrador, certamente seria relegado a uma nota de rodapé. Parece uma tartaruga, meu Deus...


https://www.ablogtowatch.com/patek-philippe-alarm-travel-time-watch-hands-on/

10
Fórum principal / Falha ao carregar fotos no Tapatalk
« Online: 04 Maio 2020 às 12:46:44 »
Alguém está tendo este problema?

Enviado de meu ASUS_Z01KD usando o Tapatalk


11
Fórum principal / Glashutte Original Sixties Chronograph
« Online: 30 Abril 2020 às 17:22:21 »
Gostei muito deste relógio. Aliás, lembra-me os também alemães da Junghans. O mostrador, bem anos 70, é reminiscência da época na qual a GO estava sob as asas do governo comunista. Quando visitei o museu da fábrica, diga-se de passagem, havia uma secção só com relógios da época, muitos "Orientão Varejeira" style.
O movimento usado é da época e, atualizado, vem sendo usado pela GO desde a "refundação". O módulo do crono é atual.

https://www.hodinkee.com/articles/glashutte-original-2020-sixties-edition-in-glacier-blue-introducing

12
Fórum principal / Kurono, por Hajime Asaoka
« Online: 29 Abril 2020 às 12:34:30 »
O Hajime Asaoka produz seus relógios de forma artesanal, inclusive com algumas "gambiarras", como a fresa CNC de fundo de quintal que ele usa. Mas vários componentes ele terceiriza para uma empresa de microtecnologia chamada Precision Components. Então, partindo do pressuposto que seu relógio mais barato custa 55 mil dólares e que inclusive ele próprio não usa alguma criação sua (o Roger Smith também não, ele não pode se dar ao luxo de empacar tal grana, sendo tão pequeno comercialmente...), Hajime resolveu criar uma linha mais barata, na qual o design é dele, mas a fabricação terceirizada.

No caso do cronógrafo, o movimento usado foi o novo Seiko com roda de colunas e embreagem vertical que, diga-se de passagem, andou sendo copiado inclusive pelos suíços (quem não se lembra da treta aqui no fórum envolvendo um relojoeiro, a Tag Heuer e a Seiko?). Caixa é construída pela mesma Precision Components que faz a dos seus próprios relógios; mostradores e ponteiros pela fabricante que a Seiko terceiriza para fazer os mostradores dos seus GS (aliás, eu achei estranha essa informação, pois acreditava que a Seiko fazia tudo em casa, mas que seja...).

O resultado é belíssimo e o preço, conquanto não tão barato, na faixa de 3500 dólares, não é exagerado dentro do mundo da relojoaria mecânica. Vejam só

https://kuronotokyo.com/

13
Fórum principal / Um vídeo sobre o fuso e corrente da Berthoud
« Online: 29 Abril 2020 às 12:15:39 »
Quando os primeiros relógios mecânicos portáteis surgiram, a metalurgia não era tão desenvolvida e, portanto, existia uma flutuação imensa de torque nas cordas. Em resumo, havia muito mais "força" na corda cheia do que na vazia, ao ponto de o relógio variar muito sua precisão durante a reserva de marcha. Foi então criado um sistema acoplado à corda, chamado de "fuso e corrente", que funcionava basicamente como uma relação com marchas de uma bicicleta, de modo que à medida que a "força" da corda ia diminuindo, ela impulsionava a rodagem através da "catraca" maior. Inicialmente, como era impossível fabricar uma corrente tão diminuta, utilizava-se uma "corda" feita com tripa de gato. Depois, quando a metalurgia permitiu, foram acopladas correntes, exatamente como numa bicicleta. O sistema perdurou em cronômetros de marinha, como forma de manter um fluxo constante de energia para o relógio, até os últimos modelos, fabricados lá pelos anos de 1960.

Eu tenho minhas dúvidas se o sistema traz alguma vantagem de precisão em relógios de pulso, sobretudo pelos avanços tremendos da metalurgia das atuais cordas, que usam ligas que permitem pouca flutuação de torque. Mas é um gadget interessante e difícil de ser feito, que demonstra a capacidade da manufatura, no caso aqui, da Berthoud. Vejam,


https://www.youtube.com/watch?v=R9Sy17D-cU4

14
Fórum principal / Um tour virtual pela Blancpain
« Online: 29 Abril 2020 às 12:00:45 »
Imaginei-me de volta a Le Brassus, correndo pela estrada para pegar um trem, alguns quarteirões abaixo da Blancpain que, diga-se, não visitei, pois era domingo e estava fechada (mas consegui ir ao Espaço Relojoeiro, um museu ao lado).

Muito legal esse tour virtual, cheio de vídeos, vale a pena assistir com cuidado, mas em PC, não sei se fica tão bem em celular.


https://blancpainmvv.panoteck.com/

15
Fórum principal / Cartier relança o Tank assimétrico
« Online: 24 Abril 2020 às 15:30:17 »
Esse modelo com bracelete preto, cabochon em rubi e mostrador grafite está um arraso, muito chique e diferente. Não é para todos, mas eu curti muito.

https://monochrome-watches.com/2020-cartier-prive-tank-asymetrique-collection-introducing-price/

16
Fórum principal / IWC Portugieser 40 mm
« Online: 24 Abril 2020 às 15:23:17 »
Grande sacada da IWC, visual antigo, lembrando os Portuga dos anos de 1990, movimento feito em casa bem interessante, com umas sacadas técnicas que, se não são novas, agregam valor (todo mecanismo de carga é em cerâmica) e... Custando um preço não extorsivo no mundo da alta relojoaria, 7 mil dólares na versão em aço. Vejam


https://www.ablogtowatch.com/hands-on-debut-iwc-portugieser-automatic-40-2020/

17
Fórum principal / IWC Perpetual em 42 mm
« Online: 24 Abril 2020 às 15:19:55 »

18
Fórum principal / Glashutte Original Chronometer Tourbillon
« Online: 22 Abril 2020 às 18:18:44 »
Já disse aqui algumas vezes que, quando visitei a fábrica, o relógio que mais me chamou atenção, na época um protótipo, foi o Chronometer, não só pelo visual, como pelo aparentemente simples sistema de reset ao zero ao premer a coroa para ajuste.

Este novo modelo, também protótipo, adiciona o sistema a um Turbilhão, o que não é tão simples, já que retornar algo com tanta massa ao zero não é tarefa simples. O sistema, que está à mostra na frente (parte de baixo), é basicamente um mecanismo de cronógrafo simplificado, mas a grande sacada reside na "roda" abaixo da reserva de marcha. Ela funciona como uma borboleta (governor) de sistema de repetição de minutos, que freia a ação abrupta do reset para algo mais palpável, para que nada se quebre.

Curti o relógio, apesar de todo floreio decorativo, aliás, muito bem feito.

https://watchesbysjx.com/2020/04/glashutte-original-senator-chronometer-tourbillon-review.html

19
Fórum principal / Museu dos Relógios de Viena
« Online: 19 Abril 2020 às 11:56:47 »
Um documentário

https://youtu.be/h5CfXimB8jc

Enviado de meu ASUS_Z01KD usando o Tapatalk


Páginas: [1] 2 3 ... 10