Exibir mensagens

Esta seção lhe permite ver todas as mensagens deste membro. Note que você só pode ver as mensagens das áreas às quais você tem acesso.


Mensagens - Adriano

Páginas: [1] 2 3 ... 318
1
Fórum principal / Re:SIHH X Baselworld
« Online: 26 Janeiro 2019 às 22:06:33 »
As feiras já estão acabando. Capaz de deixarem de existir em 2 anos ou 3. São caras e não dão retorno.

Abs.,

Adriano


2
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 16 Janeiro 2019 às 14:36:49 »
A tempo: eu particularmente não estou discutindo a velha questão se "homage" é falsificação ou não, se é correto, se é imoral, etc. etc. etc. etc. etc. etc. etc.

O relógio que "quotei" a foto, propositalmente, é uma cópia exata do Seamaster 300M "James Bond". Por não ter Omega escrito, alguns vão dizer que é só homenagem, e não falsificação. Não importa para o que eu questionei, que é a parte técnica. Isso é com certeza absoluta feito EXATAMENTE na mesma linha de montagem de onde saem as falsificações, escrito Omega e tudo. Ou seja, o falso e a homenagem são o mesmo relógio, só com marca diferentes no mostrador, e seja como for, é MAL FEITO, pois o cara copiou tudo, e mesmo assim não consegue fazer uma porra dessa resistir a mais de 5 ATM de pressão.

Agora eu me pergunto mais uma coisa: se copiando um troço já pronto - que para copiar o cara com certeza teve um original em mãos, mediu, analisou, escaneou a laser em 3D, processou e adaptou em um CAD - o cara não consegue dar vedação decente, imagine naquele que ele não copiou, mas tirou o desenho da cabeça dele...

Qual a diferença entre essa homenagem, ou cópia, daquelas homenagens, ou cópias, feitas pela TAG, e pela própria Omega - convenhamos, os Seamaster 200m copiam vários elementos do Rolex Submariner - é que o TAG ou o Omega são fabricados na Suíça (óbvio...), possuem garantia do fabricante, resistem de verdade a um mergulho profissional...

[Rant mode on]

Na boa, copiar um relógio de mergulho que não dá para entrar na piscina é assinar o atestado de incompetência fabril. E o cara ainda bota a marca dele ainda, e almeja um dia ser uma marca respeitada de relógios. Era melhor ter deixado Omega e continuar fazendo falsificação, passava menos vergonha.

[Rant mode off, for a while...]

Abs.,

Adriano

3
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 12 Janeiro 2019 às 16:04:26 »
Pois é, o relógio é animal. Foram feitos alguns na configuração original, mais caro, e outro menor, mais usável para o dia-a-dia, mais barato.

Vi ambos na Baselworld em 2008 ou 2009.

Abs.,

Adriano

4
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 12 Janeiro 2019 às 13:06:40 »
Uns relógios chineses mais sérios que conheci são os Fiyta.

Vi ao vivo o Spacemaster, fiquei impressionado. Teria um, da versão usada pelos cosmonautas chineses.

Abs.,

Adriano

5
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 11 Janeiro 2019 às 14:41:24 »
Sim, também acredito. Claro que uma fresadinha aqui ou ali deve ter. Um processo posterior com certeza as peças recebem, nem que seja só para fins de acabamento.

É o tipo de objeto que não basta ser bem feito. Ele tem que PARECER bem feito também. E quando a gente fala desse tipo de proporção, nessas tolerâncias, a peça bem feita automaticamente parece bem feita mesmo sem acabamento nenhum. O olho nú não tem acuidade para perceber a diferença. Logo, uma rebarba vista a olho nú é equivalente a um navio perto das tolerâncias que são necessárias. Estamos falando de paradas que requerem 0,005 mm. Não tem como atender isso quando você algo a olho nú.

Abs.,

Adriano

6
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 11 Janeiro 2019 às 13:18:12 »
Bom dia

Acho relevante dizer que um certificado de controle de qualidade não se traduz em durabilidade e/ou precisão.
O termo qualidade para a ISO por exemplo, significa conformidade com os padrões estabelecidos, ou seja, se eu estabeleci como padrão produzir um movimento 100% estampado, com um rotor cheio de rebarbas e uma precisão de +-10min/dia, ok, eu preciso entregar um produto fabricado em prensas com o rotor com rebarbas e uma precisão dentro da faixa indicada.
Sei que muitos sabem disso, muitos sabem até mais sobre o tema do que eu, mas fico com receio de alguém pagar um "plus" em razão de um papel que na prática pode se traduzir em um relógio ruim COM um pedaço de papel com um pouco de tinta aplicado sobre a superfície.

Adriano, você já viu ou conhece algum movimento com precisão padrão COSC, mesmo que sem o certificado, porém com peças estampadas ao invés de usinadas?

Sim, hoje há muita peça estampada em mecanismo fino. O que eu aprendi nesses anos é que peças estampadas tem um estigma - justificável - de serem piores. A explicação é simples: dependendo da tolerância dimensional que você precisa, o processo de estampa não é capaz de atingir, como  em uma peça que passa por usinagem. A estampa também pode enfraquecer alguns pontos da peça, pois estira o material, etc. etc. etc. Porém é um processo muuuito mais barato, pois envolve menos etapas.

Ocorre que hoje conseguem fazer peças estampadas com muita precisão, que dispensa o uso de uma peça usinada no lugar. Peças chave. Exemplo que me lembro rapidamente é a ponte da âncora dos mecanismos Tudor de manufatura. É uma peça chave. Fora da tolerância, o relógio simplesmente não funciona (pois uma das dimensões mais "delicadas" e críticas do relógio é a penetração e segurança da interação roda de escape x âncora, e ela começa com uma ponte bem feita). Mas os caras fazem, e para o volume de produção que pretendem, se dá para fazer assim, eles vão fazer. Omega 8500 tem uma porção de peças estampadas. Em muitos casos é até inteligente fazer assim, você consegue fazer em uma peça só o que precisaria ser separado em 2, 3, 4, 5 peças se fossem usinadas. É experto, é fácil de montar, é mais robusto...

Então não creio hoje, como já pensei no passado, que isso seja exatamente um demérito ou que comprometa a qualidade e precisão do mecanismo. O problema é você usar peças estampadas em ponto que necessitariam de tolerâncias mais rígidas. Isso acontece direto com mecanismo mais barato. Peças críticas são estampadas e chega em um limite que ou você fica com tolerâncias amplas, mas funciona (tipo Seiko 7S26), ou o troço começa a dar um índice alto de defeitos insolúveis (muitas máquinas chinesas).

E escapamento não tem milagre. E no padrão que os caras estão fazendo hoje (aí, vide Omega 8500, por exemplo), nem usinagem serve mais: os caras usam processo LIGA em peças críticas.

Abs.,

Adriano

7
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 11 Janeiro 2019 às 13:06:27 »
Deixando um pouco a máquina de lado, o que dizer da caixa, vidro e mostrador? O único critério válido é a máquina e seu acabamento? E a relação custo benefício?

Quantos aqui usariam um chinês?

Fiz uma compra no ALIEXPRESS. Um DEBERT com máquina Gaivota. Estou torcendo para escapar da tarifação. Paguei 95 dólares com frete gratuito.

Ainda não chegou. Vou postar aqui neste tópico.

Enviado de meu SM-G570M usando o Tapatalk

Vidro pode ser torto, ter distorções, não ser perfeitamente redondo e não vedar bem... Tive 2 relógios "homage". Um, "homenagem" ao Freccione, eu estava em um posto de gasolina, do lado de fora do carro, aguardando o abastecimento... Ouvi um barulho de algo caindo no chão, não consegui perceber o que era. Mas pela proximidade do som, percebi que caiu de mim... Achei que fosse o chaveiro que desmontou, algo do meu óculos... Era o vidro do relógio, soltou e caiu. O relógio não tinha um mês. Outro, "homenagem" a um Radiomir, o vidro quebrou no bolso da minha camisa, no dia em que recebi o relógio. Fui sair do trabalho, tirei o relógio do pulso, coloquei no bolso da camisa segundos antes de sair do prédio. Era inverno, a porta automática do prédio abriu, eu sai andando e uns 5 segundos depois ouvi um estalo vindo do meu bolso. Puxei o relógio, e o vidro estava partido ao meio. O relógio estava quente no pulso, recebeu um vento frio, e o vidro quebrou. Eu literalmente "rasguei" dinheiro com os dois relógios. Se eu tivesse gasto esse dinheiro com balinha 7 Belo, teria sido mais bem gasto.

Caixa? Manchas, roscas que espanam, tampas que não encostam perfeitamente, juntas de baixíssima qualidade...

Mostrador? Mostrador de Audemars Piguet dá defeito. Imagina...

Claro, o preço é baixo. Mas a questão é que há quem ache que não vale pagar preço nenhum por um produto assim. Uma bela hora ele te deixa na mão e vira um peso de papel. Me chamem de pobre, mas USD 95 é grana pra caramba por um troço que eu não sei o quanto dura. Se dura até ano que vem, se dura 10 anos, ou se é que já não chega com defeito.

Abs.,

Adriano


8
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 11 Janeiro 2019 às 12:52:02 »
Esse é o parnis modelo pa6073, vem equipado com o movimento seagull 2530, o acabamento é descente para o valor, vidro de safira, pulseira de couro animal, coroa rosqueada, o movimento não apresenta rebarbas, nem marcas de dedos, pode parecer mentira mas já vi marcas de dedos em movimentos chineses.
O relogio tem uma excelente precisão em minhas medições tenho aferido entre 2 a 7 seg dia para menos.
Outra coisa que me chamou bastante atenção é o tempo que ele leva para carregar a corda via balanço do braço fiz como faço com tdos meus automáticos dei 15 voltas na coroa e coloquei no braço em uma hora de caminhada o relogio mostrou a reserva de marcha cheia.
O relogio após mostrador de reserva cheia aguentou 41h dentro da caixa.
Agora como o Adriano citou tenho curiosidade em saber como será a durabilidade deste relógio
Enviado de meu SM-G930F usando o Tapatalk

Olha, todo mundo sabe que eu não costumo dar opinião negativa, nunca, a não ser que ela seja explicitamente solicitada. Eu sempre me sinto grosseiro dando opinião negativa sobre qualquer coisa.

Ocorrem duas coisas aí: uma é que ninguém consegue prever a durabilidade de absolutamente nada. Qualquer prazo de validade é baseado em uma estimativa e em experiências anteriores, frequentemente empíricas. O problema aí é que quando a qualidade é completamente inconsistente, uns exemplares vão duras 100 anos, outros 10 anos, e outros 10 meses.

A minha experiência com os poucos Parnis que vi, é que se eles durarem 10 meses, o cara tá no lucro (alguns não duraram isso...). Sério, porque são os piores e mais mal feitos relógios que eu já vi na vida. E já vi muita coisa, de "A a Z". Vostok, reputadamente relógios de baixa qualidade, são Audemars Piguet perto dos Parnis. São feitos, mal acabados, mas pelo menos duram. Relógio chinês não dura, isso é um dos maiores problemas. Eles funcionam até bem, enquanto funcionam.

Abs.,

Adriano

9
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 11 Janeiro 2019 às 09:35:48 »
O tal CL888 (Claro-Semag) é uma piada de mau gosto...

Abs.,

Adriano

10
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 10 Janeiro 2019 às 13:15:49 »
Estes são os três movimentos automáticos mais populares usados ​​na indústria de relógios atualmente:
1. O movimento chinês Seagull 2551 (custa US $ 17)
2. O movimento japonês Miyota 9015 (custa US $ 55)
3. O Swiss ETA 2824-2 (custa mais de US $ 146)
O movimento automático chinês por US $ 17 não é necessariamente menos preciso, mas seu custo-benefício tem que vir de algum lugar: o garfo de palete, a roda de escape e os rolamentos geralmente são de baixa qualidade, o que afeta negativamente a durabilidade e a longevidade. Outra desvantagem do movimento chinês é seu volume; vamos apenas dizer que é difícil fazer com que pareça elegante no pulso ...
O movimento Miyota funciona com a mesma precisão que os movimentos suíços de nível de entrada. É comprovado ao longo dos anos e é de fácil manutenção. O Miyota é considerado o cavalo de batalha na indústria e é significativamente mais magro que o movimento chinês.
A principal diferença entre o Miyota 9015 e o ETA 2824 é o “rotor de enrolamento duplo”, que proporciona um relógio praticamente inaudível. Ele também tem menos variância posicional, o que significa que à medida que você se move, o tempo será mantido com mais precisão. Tudo o que é feito na Suíça também tem valor intangível, já que os suíços são historicamente grandes fabricantes de relógios e a força motriz por trás de muitas das mais significativas invenções de cronometragem do nosso tempo ”.


Enviado de meu SM-G930F usando o Tapatalk

Depende de que "movimentos suíços de nível de entrada" estamos falando. Não é de ETA 2824-2, que não é mais de entrada. Mas se for ao 2824 que se refere, não tem nem comparação o desempenho de um Miyota, que seja o 9015, com um ETA 2824.

Abs.,

Adriano

11
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 09 Janeiro 2019 às 19:55:09 »
De fato, buscar alguma identidade própria (dentro do possível) é um avanço.

Mas em termos de qualidade, ainda creio ser muito fraco. Mas é meu critério. Que para se ter uma idéia, eu tenho que fazer uma forcinha hoje para fazer uma lista de mecanismos 100% suíços que eu julgue de qualidade excelente...

Acho que a qualidade dos mecanismos Seagull (já vi bem de perto, mas nunca dissequei) está hoje próxima dos Seiko, Oriente e Citizen de entrada. Que hoje são piores do que já foram justamente pela fabricação Ásia afora. O materiais são ruins...

O material é que lasca. A execução não é ruim, para falar a verdade.

Tem mecanismo suíço que o material é ruim pois tem uns dedos asiáticos lá, tentando salvar uns francos aqui ou ali.

A qualidade é "ok" para o preço. Condizente. Mas não surpreende de modo algum. Entrega o que cobra, na melhor das situações.

Abs.,

Adriano

12
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 09 Janeiro 2019 às 16:00:40 »
Dicbetts, a China tem 1.5 bilhão de habitantes. 3 milhões de relógios parece muito, mas mesmo para o mercado interno, não é. E, apesar de existirem smart phones, etc, acho que é pouco para um mercado tão grande. Aguardemos: chineses são como o Cérebro do desenho Pink e Cérebro.

Funcionar como fornecedor para o exterior, mesmo suíços, não é novidade: desde a revogação do estatuto relojoeiro nos anos 70, os chineses passaram a fabricar grande parte dos componentes externos dos relógios, mesmo em marcas de alto nível. Tenho convicção plena que em 99.99999 por cento das marcas de "entrada" Swiss Made, braceletes e caixas são feitos lá.


Flávio

Era um dos pontos que eu queria chegar. A grande "mudança" na indústria relojoeira chinesa foi quando os relógios suíços começaram a ser feitos lá. Convenhamos, uma parcela enorme de relógios Swiss Made é quase inteira feita na China. Especialmente pós-2000. E não dá para dizer exatamente que houve uma queda de qualidade com isso. Em raríssimos casos dá para dizer. Mas na maioria, a qualidade manteve-se a mesma. Isso foi um avanço, e que entregou um know-how de bandeja para a indústria local. Inclusive de maquinário de fabricação de componentes.

Abs.,

Adriano

13
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 09 Janeiro 2019 às 15:45:25 »
Boa Tarde,

Adriano, muito interessante a sua proposta de reflexão.
A Peacock eu acho que é uma Chinesa que faz Tourbillon, a Seagull tem um calendário perpetuo, mas não faço nem ideia se é mais uma cópia ou se há alguma inovação, porém EU penso que o mercado de relógios no mundo e isso inclui o Chinês possui a referencia no mercado Suíço e não somente porque a Suíça é uma referencia técnica e sim por ser o que o mundo deseja, sendo assim, se não posso ter uma estrategia de diferenciação pelo produto, que o que nos faz pagar o que pagamos pelos relógios, vamos na eficiência operacional...escala de produção, zero controle de qualidade, zero custo de engenharia...e vamos fabricar aquilo que o Mundo deseja, o produto "com cara de Suíço".
Abraço.

É mais ou menos isso que eu queria "ouvir". Porque eu não tenho bem uma opinião formada e em muitos casos minha visão é "distorcida" (para bem ou para mal). Que a indústria mudou eu tenho certeza, mas eu queria saber se o pessoal "do meio" (leia-se, vocês) percebem isso como um avanço, ou uma simples mudança.

Abs.,

Adriano

14
Fórum principal / Re:Relógios chineses
« Online: 09 Janeiro 2019 às 13:29:33 »
Vou atiçar a discussão no seguinte sentido: você afirma que a indústria chinesa de relógios segue avançando. Você consegue exemplificar esse avanço e dizer em que caminho ela avança? Minha pergunta é propositalmente provocativa.

Abs.,

Adriano

15
Fórum principal / Re:Os dez relógios mais feios já feitos
« Online: 07 Janeiro 2019 às 09:56:35 »
Esse cara é muito divertido, ele não se leva muito a sério. A aparência almofadinha deixa ele ainda mais engraçado. Pena que não tem mais vídeos em inglês.

Abs.,

Adriano

16
Fórum principal / Re:Hora de desapegar...
« Online: 07 Janeiro 2019 às 09:28:03 »
Eu já me desapeguei faz tempo. E quando aparecem dívidas, dá ainda mais "coragem" de desapegar. Ou mesmo quando você simplesmente vê que pode fazer algo beeeeem melhor com aquele dinheiro. Você percebe o quanto de dinheiro tinha ali parado em um único objeto. Seria ótimo não precisar se desfazer de nada? Seria um sonho. Mas a hora que a "água bate na bunda", como dizem, você se desapega rapidinho.

Abs.,

Adriano

17
Relendo tópicos antigos...

Fiquei sabendo que estão aperfeiçoando todo dia.

Eu cairia. Conheço relojoeiros que ficariam com dúvida.


Enviado de meu SM-G570M usando o Tapatalk

Essas fotos são fajutas. Especialmente a de baixo. É a mesma foto, do mesmo componente, e não a comparação de um original contra um falso. Aliás, tática típica de falsificadores: comparar a foto de um original com outro original. Falsificador é enganador do começo ao fim.

Abs.,

Adriano

18
Fórum principal / Re:Revisões preventivas em relógios mecânicos
« Online: 04 Janeiro 2019 às 11:00:38 »
Revisão periódica é uma recomendação, não uma necessidade. É importante distinguir isso.

Cada um sabe o valor do objeto que tem e o cuidado que ele merece. Isso é uma escolha sua, e só sua.

Você pode revisar periodicamente sem esperar apresentar problemas, e assim ter certeza de que aquele bem funcionará sempre com lubrificação em boas condições, sempre com vedações novas... Você estará preservando aquele bem muito mais que a média. Agora, isso é garantia de que nunca vai dar defeito? Não.

Ou você pode só revisar quando der defeito, quando parar de vez, etc. Isso significa que você está causando danos irreversíveis no mecanismo? Também não. Mas você está se arriscando a descobrir que ele parou porque uma peça - as vezes cara - arregou. E arregou por falta de lubrificação. E a manutenção que custaria "X" agora vai custar "3X".

Sabe aqueles Seikão 6119 que todo mundo diz que funciona 30 anos "perfeitamente" sem revisão? Funciona mesmo. "Perfeitamente", com certeza não. E depois desses 30 anos, não vai funcionar mais perfeitamente, nunca mais. Pois não tem um por aí que não esteja com, no mínimo, os mancais do tambor ovalados, com o tambor trabalhando inclinado, raspando em tudo, não dando amplitude. Aí faz o que? Não existe mais platina nem pontes novas, nem eixos de tambor. Remenda tudo. Alguns rebatem os furos dos mancais. Outros mais caprichosos colocam rubis no lugar. Funciona. Mas funciona como novo? Nunca mais. É o preço dos 30 anos sem revisão periódica. De novo, cada um escolhe.

Minha opinião: eu faria revisão periódica em Seiko com 7S26 e Orient 469? Jamais. Eu faria revisão periódica em um AP com 2120? Com certeza mais que absoluta.

Abs.,

Adriano


19
Fórum principal / Re:Oris TAP
« Online: 20 Dezembro 2018 às 10:20:43 »
Um comentário/curiosidade pertinente: até o meio deste ano, mais ou menos, a Swiss tinha para vender a bordo um Breitling Skyracer (que já é um modelo de entrada) por um preço ainda mais baixo que o RSP na Suíça, e com dois "plus": a tampa traseira tinha o emblema da Swiss (edição limitada) e ele vinha acompanhado de um certificado extra assinado na hora pelo comandante daquele próprio vôo, na ocasião da compra. Fiquei muito tentado a comprar um. Apesar de quartz, o reloginho é muito bonito e ultra-confortável no pulso. E essa edição da Swiss era um item muito legal para quem gosta de aviação também.

Vi em Maio, mas quando viajei de novo em Setembro já não vi mais anunciado na revista de bordo.

Abs.,

Adriano

Páginas: [1] 2 3 ... 318