Autor Tópico: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...  (Lida 140615 vezes)

Offline Davi-RJ

  • Membro hiperativo
  • ***
  • Mensagens: 163
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #40 Online: 29 Novembro 2012 às 11:59:58 »
Caraca, Adriano, queria ter lido isso antes:
"Para quem quiser uma boa harmonização com uísque, sugiro uísques single malt da região de Islay. São aqueles defumados, salgados. São ame ou odeie. Eu amo, então para mim harmonizar charuto com um Laphroaig, é perfeito. Mas para qualquer pessoa, sugiro experimentar uma dose de Laphroaig antes de comprar uma garrafa. Pois o mais provável é que se odeie ele. Imaginem um uísque comum, mas jogue dentro do copo um pedaço de bacon defumado, uma colher de sal marinho e umas gotas de iodo. É o Laphroaig.

Comprei sem conhecer sua definição um Caol Ila e quando provei a primeira dose quase não acreditei que aquilo poderia ser whisky. Pensei comigo que a única vantagem de uma bebida com aquele gosto é poder beber em paz em qualquer lugar, pois todo mundo acreditaria que é remédio  ;D

Caol pra mim agora só em Minas (Cachaça, Arroz, Ovo e Linguiça).

Um abraço,
Davi

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #41 Online: 29 Novembro 2012 às 13:32:34 »
Pois é, e olha que o Caol Ila é um dos, senão o mais suave dos uísques de Islay! Ele inclusive é usado como componente de vários uísques blended. A Johnny Walker conhecidamente usa Caol Ila em alguns de seus blends.

O Laphroaig e o Lagavulin, por sua vez, são os mais "pegados". Uma das coisas bacanas do Laphroaig é o fato deles produzirem o próprio malte. Isso garante o controle no processo de maltação e resulta num produto sempre igual.

Remédio: essa é a palavra certa para seu sabor e aroma. Tanto que durante a lei seca nos EUA, a importação do Laphroaig era permitia, pois era vendido como "medicinal spirit" - remédio alcoólico! Sério!

Abraços!

Adriano

Offline Julio Celes

  • Membro Sênior
  • ****
  • Mensagens: 262
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #42 Online: 01 Dezembro 2012 às 19:59:41 »
Boa noite
Primeiro queria agradecer ao Adriano pela dica do monte pascoal, realmente ótimo charuto nacional.
outra dúvida que tenho quanto a lasioderma, ela morre quando exposta a baixas temperaturas ou ficam em um estado de "hibernação" pq se elas morrem quando eu comprar charutos basta coloca-los por 2 dias no freezer e depois no umidificador que estou livre das pragas, ou estou falando besteira?

Grande abraços a todos, e Adriano pode me mandar mais dicas que estou aceitando.

Julio Celes

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #43 Online: 01 Dezembro 2012 às 22:09:33 »
Sim Julio, a baixa temperatura mata tanto a larva quanto os ovos. Os fabricantes mantém tanto o fumo bruto como os charutos prontos por dias em freezers. É feito assim no Brasil, em todos os fabricantes que conheço (pois conheço a fábrica mesmo,pessoalmente) e honestamente nunca tive problema nos nacionais. Idem para os dominicanos e hondurenhos, onde o processo de fabricação é altamente controlado. O problema está nos cubanos. Não há tanto controle assim. E mesmo que haja, alguma coisa escapa, não porque o sistema não funciona, mas porque o bendito besouro sempre está presente onde há fumo. Em qualquer parte do processo, um besouro pode botar um ovo aqui ou ali, após o charuto pronto.

O ovo é muito resistente e basta uma oportunidade oportuna de temperatura para a larva sair do ovo e começa furar o charuto.

Então, de acordo com um estudo da própria universidade de Havana, concluiu se que 5 dias de freezer a pelo menos -18°C é garantido que elimina totalmente o risco. Então sim, se não quiser correr risco, faça isso com seus charutos antes de guardá-los. Coloque-os em um saquinho de embalar vegetais, aqueles famosos saquinhos "zip", que seja totalmente vedado. Use saquinhos novos, pois tem-se a certeza de que estão vedados e não possuem cheiro de nada dentro. Coloque quantos charutos quiser ou couber e lacre. Bote no freezer, e depois de 5 dias, passe para a geladeira e deixe por mais um dia. Isso porque o frio rouba umidade. Se botar sem lacrar, vai secar demais os charutos, o que não é legal. E a geladeira serve para não descongelar muito rápido, o que pode trincar a capa do charuto e, no mínimo, deixá-lo feio.

Abração!

Adriano

Offline Julio Celes

  • Membro Sênior
  • ****
  • Mensagens: 262
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #44 Online: 01 Dezembro 2012 às 22:40:45 »
Ok mais vc ficou me devendo as dicas hehehehe


Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #45 Online: 01 Dezembro 2012 às 23:34:12 »
Na verdade mesmo, hoje eu só tenho recomendado os Monte Pascoal e os Danemman Reserva entre os nacionais. Os Angelina já eram, os Dona Flor nunca foram bons, nem o tal Seleção que recebeu boa nota na Cigar Aficcionado, pois obviamente o que temos aqui não é o mesmo que vai lá para fora. Aliá, temos fumos excelentes no Brasil. Mas 99% desse fumo é exportado. O fumo da Menendez Amerino é ótimo, mas o que vendem para o mercado interno é o resto do resto. Certa feita fizeram um charuto controverso, o tal Gran Corona, que na verdade não era um formato gran corona (aliá a Menendez é mestre em "errar" o nome dos charutos quanto à seu formato...) mas sim um 6x60, que muita gente criticou por ter fluxo muito solto, ou outros problemas, mas que eu particularmente gostei muito desde o princípio e era feito com fumos muito bons. Mas, custavam perto dos R$ 40,00 a unidade e estavam concorrendo até com cubanos na época, e é claro que não deu muito certo.

Dominicanos: experimente os "Bundle Selection" que já expliquei e experimente os Zino Classic, que não são tão caros quanto os Avo e Davidoff, nem os Zino Platinun e são tão bons quanto: apenas por posicionamento de mercado, a Oettinger os coloca numa categoria abaixo. Todos esses se encontra fácil no Brasil. Fuja dos Don Diego: não que sejam ruins, mas não valem. Concluirá que os Bundle são bem melhores e custam metade ou menos.


Hondurenhos: os Macanudo são excelentes, e suaves. O Diplomat de capa escura é maravilhoso. Mas não sei se ainda estão sendo vendidos regularmente aqui. Tem também o Camacho, que agora são da Oetinger também. Mas cuidado: Camacho são muito fortes, todos eles. Deixa até os experientes grogues.

Cubanos: ora, todos! Mas o maior problema: os falsos. Mesmo tabacarias famosas e em pontos nobres, vendem falsos. Eu só recomendo as casas del Habano e outras poucas tabacarias que conheço pessoalmente o pessoal.

Mas tá caro demais comprar cubano oficialmente no Brasil. Por isso, inclusive, desconfie dos preços. Se tá barato, é falso. Certeza. E só a experiência para distinguir os falsos dos originais. Tal como relógios.

Dissertarei mais sobre cubanos em outra oportunidade.

Abraços!

Adriano

Offline Julio Celes

  • Membro Sênior
  • ****
  • Mensagens: 262
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #46 Online: 02 Dezembro 2012 às 01:36:07 »
Po Adriano vc está me quebrando uns dos que eu mais gostos são os don diego e eles estão na mesma faixa de preço dos bundle, (onde compro) nesse fim de semana fui de um don diego aniversario, e amanhã vou de puro mata fina dona flor.

Outra coisa que queria saber.

Sabemos do embargo dos EUA com os cubanos, mais creio que em pouco tempo isso irá cair, você não acha que os preços dos cubanos irão subir mais do que já estão?

Ou novamente estou falando besteira?

Grande abraço a todos

Julio Celes



 

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #47 Online: 02 Dezembro 2012 às 17:02:59 »
Mas o Don Diego não é ruim! Fui no evento de lançamento dá marca, há uns 5 anos. No evento, todos registraram o tradicional e o aniversário. O tradicional não impressionou: era apenas mais um dominicano. O Aniversario pareceu melhor. Aí botaram no mercado com preço totalmente competitivo, brindes e etc. De repente, o preço disparou e começou a competir com os Zino Classic. Ou seja, charuto de 18 ou 20 reais a mais de 30 reais, não rola.

Agora, se você gosta e está comprando a preço de Bundle, continue neles! O seu gosto tem quê vir na frente. Todo mundo me chamou de louco quando eu comprava gabinete fechado dos Dona Flor Grande Corona: para todo mundo era fraco e caro. Eu gostava, então ponto final.

Sobre o embargo: essa é uma questão de ouro e que começamos a discutir assim que o Obama foi eleito, dá primeira vez. Pois começou-se a falar dá queda do embargo. O que vai acontecer, se acontecer, ninguém sabe ao certo. Mas antes dos preços, a primeira preocupação é: a produção dá conta? Duvido. Os EUA consomem muito, muito charuto. E depois de 60 anos sem charuto cubano, vão pagar qualquer coisa para fumar um. Cuja vai priorizar eles e vai faltar em outros lugares. Pois não vejo espaço para cuja aumentar sua produção nem em 25% a curto prazo. Isso sozinho pode aumentar o preço mundo afora, mesmo que o preço ex-factory continue o mesmo.

Continuo já já...

Abraços!

Adriano

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #48 Online: 02 Dezembro 2012 às 18:14:28 »
Continuando....

Temos o terceiro ponto: qualidade. Cuba já está no limite de produção e embora a qualidade do tabaco continua a mesma, a construção idem, tem uma coisa que estão pecando: tempo de descanso do charuto até ele ser vendido. Os charutos estão sendo vendidos verdes em alguns mercados, especialmente em Cuba . Eles têm priorizado mercados como Espanha e os charutos mais maturados vão para lá. Mas não podem deixar faltar em Cuba, para os turistas, e o resultado é esse. Eu mesmo comprei charutos muito verdes lá. Comprei uma caixa de N.2 e Grande Edmundo, Monte cristo, e estavam intragáveis. Agora faz um ano e meio que os tenho e só agora estão começando a ficar fumáveis. Ok, estamos falando dos charutos mais vendáveis, comprados na Casa del Habano mais movimentada de Havana, que é a da fábrica da Partagás. Mas mesmo assim, não deveriam ter saído dá fábrica sem estarem devidamente misturados.

Enfim, esse é mais um ponto a se preocupar.

Obs. Perdem uns erros de portugues, mas estou escrevendo de um celular que " adivinha" as palavras e logicamente, adivinha tudo errado...

Abraços!

Adriano

Offline Julio Celes

  • Membro Sênior
  • ****
  • Mensagens: 262
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #49 Online: 02 Dezembro 2012 às 19:36:16 »
Mais ele não custa 30 reais, na verdade o robusto está menos do que 20 reais, novamente onde compro.

Outro que gosto bastante são os Gran Honduras na mesma faixa dos don diego o Macanudo que você falou pro meu paladar são os melhores, porém estão bem acima na faixa de preço na casa dos 30.
Claro até hoje o charuto que fumei e achei o melhor foi um Romeu & Julieta Chruchill até tenho uns 2 ainda mais são tipos os vinhos que tenho me dão mais prazer em guardar do que beber ou fumar.

Outra coisa quanto aos charutos nacionais isso que você mencionou de eles mandarem os melhores fumos para o exterior qual o motivo? Pagam pouco aqui ou somente para agradar o publico exterior?

Abraço e mais uma vez obrigado pela aula

Julio Celes

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #50 Online: 02 Dezembro 2012 às 20:25:33 »
Faz tempo que não procuro os Don Diego nas tabacarias, por isso creio sim que tenham dado uma recuada nos preços.

O Churchill é um clássico. Embora os que eu comprava há uns 6 anos atrás eram melhores dos que os que tenho fumado ultimamente. E eu achava-os mais elegantes quando usavam anilha única, sem a anilha tradicional da Romeu. É sem dúvida uns dos melhores churchill. Só não é por causa da inconsistência. Já fumei Churchill espetacular e já fumei algums que eram só mais um cubano. Ainda tenho algumas poucas unidades dos antigos, de anilha simples.

Sobre a exportação, está certo. O europeu não vai aceitar fumo meia boca, e naturalmente, paga muito bem pelo bom fumo. Dá nisso. Vi com meus próprios olhos um embarque de fumo da Danemann para a Europa, saindo direto do armazén em Cruz das Almas, interior da Bahia.

Tem outra: não é só questão de pagar. Mesmo que você, produtor brasileiro, queira pagar o mesmo que os gringos, tem que correr e chegar na frente na fila. Isso explica o Monte Pascoal: os caras resolveram entrar com tudo e comprar um lote imenso, caro, mas bem especial. Custou caro, bem caro. Mas o resultado é que têm charutos bons e idênticos, anos após anos, e estoque para mais alguns anos, todos descansando calmamente na fábrica. E saem para os EUA, exatamente os mesmos que fumamos aqui. Idem para os Danemann, que por contarem com sua própria fazenda para fumos de capa, plantados na sombra, e assim controlam 100% o produto final. Embora denovo, eu achava os Artist Line Reserva 2006 melhores que os seguintes, que foram os 2009. Mas isso é natural. Essa variação ocorre naturalmente, pois o fumo de miolo vem do Recôncavo todo e até variações climáticas fazem diferença.

Ah, os Monte Pascoal tem uma pitada especial de fumo mata norte, o que faz deles mais pegados que os outros nacionais.

Vou preparam um album de fotos on line de minhas visitas a algumas fábricas.

Ah, uma pedida boa, com boa chance de pegar exemplares bons, são os Siboney. Tenho caixas de edições limitadas excelentes. O diferencial deles é que não são mata fina, mas uma variação de sementes cubanas plantadas, salvo engano, em Honduras. Resultado: aroma semelhante ao cubano, mas com preço nacional, enrolado aqui por cubanos. Mas ouvi dizer que a fábrica fechou. Ficava aqui no interior de SP.

Abraços!

Adriano


Abraços!

Adriano

Offline flavio

  • Administrador
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 8.121
    • Ver perfil
    • Relógios Mecânicos
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #51 Online: 04 Dezembro 2012 às 21:36:32 »
Não entendo nada de charutos, não gosto do cheiro de charutos, não gosto de pessoas "charutando" na minha frente mas...Pela primeira vez li esse tópico! Aí é assunto ein? Não achava que fosse tão complexo. E Adriano, apesar de eu não PODER tomar café, que me deixa extremamente acelerado, para mim, como você, é incompreensível que alguém o faça com açúcar ou outras coisas. Só tomo isso no pelo! E, curiosamente, tenho gostado muito dos Nespresso. No trampo temos também uma máquina pro e moemos café do norte de Minas. Cada mês experimentamos algum, são muito bons. Gin...Voltei a beber! hahahahahah! Mas agora tenho tomado drinks tabajara mesmo, com tônica. No pelo, ainda gosto muito do Beefeater.

Flávio

Offline watchgirl

  • Membro Sênior
  • ****
  • Mensagens: 352
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #52 Online: 04 Dezembro 2012 às 22:03:05 »
Ganhei uma latinha de Romeu e Julieta mini e um de Cohina mini, mas parei de fumar... estão aqui paradas, tem horas que me bate a tentação...rs

Alguém aqui já fumou o Cohiba? É bom? Ouvi dizer muito bem dele.
''All we are is dust in the wind.''

Abraços da Watchgirl!

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #53 Online: 04 Dezembro 2012 às 23:30:00 »
Eu pirei no Nespresso! Nunca tomo um só, tomo de dois a três cada vez.

Cohiba? Por supuesto! São uns dos melhores, claro. Mas não acho O melhor. Cohiba sofre com o mesmo fenômeno que a marca Rolex entre leigos. Quando se fala em charuto, logo vem o Cohiba à mente como se fosse o melhor. Enquanto entre os entendidos, é sabido que é um dos. Por exemplo, o Cohiba robusto clássico não acho o melhor robusto cubano. Acho-o apenas bom. Prefiro 1000 vezes um Robaina. Já o Siglo VI sim é um dos melhores, muitas vezes o melhor em seu formato (cañonazo, salvo engano). Outro exemplo: no formato robusto extra, os Trinidad são imbatíveis. Enfim, vai de formato para formato.

Eu particularmente não sou fã dos Cohiba tradicionais: prefiro outras marcas na comparação. Porém, os Cohiba de linhas especiais são realmente especiais. A linha Maduro 5 é fantástica em todos os formatos, para não dizer os cobiçados Behike, que são uns dos mais caros charutos de linha que existe. Na verdade, em Cuba mesmo não são absurdos, mas mundo afora são caros para danar e embora sejam especialíssimos, não são proporcionalmente melhores.

Uma coisa aprendi, mudando um pouco de assunto, e dando um conselho aos novatos: não guardem os melhores charutos para ocasiões especiais. Reserve os normais, ainda que bons, para ocasiões especiais, e os especialíssimos guarde para quando der vontade.

Explico: ocasiões especiais raramente são ocasiões propícias para fumar um charuto. Tipo casamentos, formaturas, aniversários, etc. Raramente há espaço apropriado para fumar, raramente há tempo para fumar, raramente há o acompanhamento certo, enfim. Acabei estragando diversos maravilhosos charutos porque os guardei para ocasiões especiais e não consegui aproveitá-los direito. Seu charuto pode incomodar os outros, você tem que conversar com as pessoas e seu charuto vai apagar diversas vezes... enfim, é uma tragédia. Então, leve charutos comuns. Os especiais você deve fumar em seu espaço habitual, seja sua casa ou uma tabacaria que seja cliente, dedicando seu tempo exclusivamente à ele, aproveitando do começo ao fim, armonizando com a bebida que você escolher.

Fica a dica. E não guarde: fume-os. Fume quando der vontade.

Abraços!

Adriano

Offline michelim

  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 1.677
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #54 Online: 05 Dezembro 2012 às 07:07:54 »
.....
Fica a dica. E não guarde: fume-os. Fume quando der vontade.

Abraços!

Adriano


Adriano, esta dica eu acho que vale para muita coisa na vida:  Quantas vezes já não abri uma garrafa de vinho top de segunda feira à noite pois estava com vontade!!! Eu também não tenho relógio para ocasião especial: quando quero coloco um longines de ouro para ir na padaria comprar pão, rodo quase todos no dia a dia para ir trabalhar, pra escrever, uso tanto minhas montblanc / pelikan quanto as twisbi, sem neuras... Quantas vezes já não ouvi que são relíquias que deviam estar num cofre para usar em ocasiões especiais.... mas acho que não é o caso, o legal me faz feliz é botar pra usar...

Quanto aos charutos, eu comecei a fumá-los regularmente ( 2 ou 3 por semana) em 2009 até o ano passado. Comprava na net no site: http://loja.charutosecachimbos.com.br/index.php e mandava entregar em casa. Quando comecei dei uma passada pelos nacionais e uma pincelada pelos cubanos e dominicanos. Eu gostava muito dos Siboney e Monte Pascoal. Não sei quantas vezes fiquei babando naquela sua foto dos 3 speedmaster na caixa de trinidad.....
Hoje em dia tenho fumado muito raramente pois minha esposa reclama muito. Para fumar eu tinha que ir pra fora de casa, levar uma mesinha, a bebida e ficar lá no quintal n maioria das vezes sozinho.... Isso me encheu e hoje em dia não tenho nenhum em estoque e só fumo quando vem algum amigo em casa para fazer companhia ( minha mulher se recusa a ficar comigo enquanto curto o charutão).


Abraço


mich

“The Quality Remains Long After the Price is Forgotten.”

Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #55 Online: 05 Dezembro 2012 às 09:31:23 »
Eu tenho fumado pouco, mais por falta de tempo do que qualquer outra coisa. Deve fazer mais de um ano que não fumo um charuto maior que um robusto ou um cañonazo. Não me lembro quanto fumei um churchill ou double corona pela última vez. Aliás, acho que devo fazê-lo neste fim de semana.

Muita gente não gosta de fumar sozinho. Eu gosto de fumar com amigos, mas não nego que também aprecio fumar sozinho e usar como um momento de reflexão. Não me incomodo.

Abraços!

Adriano

Offline zE_

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 1.829
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #56 Online: 05 Dezembro 2012 às 10:49:06 »

Eu gosto demais do cheiro dos charutos. Mas fumar não curto.


Online jfestrelabr

  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 4.265
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #57 Online: 05 Dezembro 2012 às 14:41:56 »
Eu fumo todas as quintas feiras em um mesmo local aqui em Brasília com um grupo de amigos charuteiros (tem os que não fumam também, mas não se incomodam com o cheiro).

O Adriano já falou muito ai em cima (deu muitas dicas importantes, laziodermas malditas, tipos de charuto, marcas, cubanos falsos heheheheh essa pega muito nego por ai principalmente os fumadores de ANILHA e os CAMACHOS esse é uma pedrada, experimentem o diademas hehehehe) , então não sobrou muita coisa para agregar não.

A respeito de fumar ou guardar os charutos eu já fui um COLECIONADOR ficava juntando caixas e mais caixas de charutos, já tive quantidades de dar inveja até em algumas tabacarias aqui de Brasília, vários amigos e donos de fabricas que conheci ao longo dos anos (estou nessa desde 1994) me falavam que charuto foi feito para FUMAR e não para ser estocado, mas eu nunca dei atenção, acho que era uma doença mesmo, mas hoje tudo que compro fumo, claro que SEMPRE tenho charutos, mas não ligo mais para grandes estoques (que demandam muito trabalho e atenção para que os puros continuem sempre saldáveis), as únicas coisas que guardo são os charutos NOVOS, digo novos na data de fabricação, pois o charuto precisa de uma envelhecida para atingir a sua maturação (folhas de fumo) total e assim liberar todo o seu potencial, agora, se já chegar na minha mão com alguns aninhos de vida, vira cinza rapidinho hehehhe.

O Ultimo charuto que fumei foi esse sábado um Bolívar Belicoso Fino de um cabinet comprado para mim por um amigo a que a muito tempo não falo, o César Adames, um dos caras que mais conhecem de charuto nesse mundo, o cara que primeiro importou Cubanos para o Brasil ou simplesmente o PAPA aqui no em nossa terrinha, ele comprou esse cabinet em 2007 e a produção era de 2001, fumei o ultimo esse Sábado 2012 e estava PERFEITO.

Quem quiser uma boa fonte de pesquisa e infos sobre charutos pode dar uma olhada no site de outro amigo o Alexandre Avelar da conexão tabaco, ele vai todo ano a Cuba atrás de algumas novidades e o site dele esta muito bem montado e bem enriquecido com fotos e vídeos.

Bom por hora é só , quem quiser fumar aqui em Brasília todas as quintas feiras no Miau que Mia , junto com um belo Scotch, é só dar um alo. Adriano te espero um dia aqui para fumarmos, vou fazer questão de fazer um evento especial para o Sr hehehhe, quem sabe o nosso patrão não anima e entra nessa arte.
Um Abraço!!!!!!!!!!!!!!!!

Membro do RedBar Brazil



Offline Adriano

  • Moderador Global
  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 5.915
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #58 Online: 07 Dezembro 2012 às 09:38:19 »
Eu também já colecionei os charutos. Percebi que é uma bobagem. Pois mesmo as edições limitadas, não são únicas: amanhã sai uma nova edição, diferente, melhor ou pior, mas diferente, e depois sai mais uma igualzinha aquela que se esgotou... Enfim, são feito para isso.

Ah, os Camacho... já vi nego ficar verde e quase desmaiar por causa desse. O mais pegado, o clássico Corojo, demanda cuidado: é preciso estar devidamente descansado e de estômago cheio para degustá-lo. Ano passado comprei em Genebra uma caixa do Triple Maduro. Um dos melhores hondurenhos que já experimentei. Não é tão forte quando o Corojo. O estojo é lindo!


Imagem do site da marca

Ainda sobre hondurenhos, gosto muito dos CAO. Sim, os charutos são todos blends de diversos fumos, por isso não dá para dizer que o charuto é hondurenho mas a marca sim. Uma vez comprei em Zurique uma caixa do CAO Soprano, no formato Boss, que é um figurado relativamente grande:



O blend dele possui fumos de diversas origens e a capa madura é brasileira. É a mesma capa do "Brazilia", muito bom também.

Estrela, com certeza, quando eu for para essas bandas, o charutinho será obrigatório!

Abraços!

Adriano


Online jfestrelabr

  • Membro de honra
  • *****
  • Mensagens: 4.265
    • Ver perfil
Re: Falemos de charutos, cigarrilhas e cachimbos...
« Resposta #59 Online: 07 Dezembro 2012 às 10:23:51 »
Adriano, eu uma vez fumei um camacho corojo diademas, presente de um amigo de São Paulo, e é realmente uma paulada, quem não esta acostumado boda mesmo, fomos 3 e nenhum dos 3 conseguiu terminar BEM o danado, também é uma monstruosidade, mas vc fuma um CUABA Diademas e sai tranqüilo e olha que o cuaba não tem um blend tão suave assim não, mas o camacho é covardia, se o cabra estiver mesmo de estomago vazio ele passa mau mesmo, um dos amigos teve uma tremenda queda de pressão  :o e o pior é o retro gosto que fica na boca, pelo amor de deus  :-X.
Mas eu ainda quero cruzar com um desses novamente, na Tabacaria Reis ai em SP eles ainda tinham umas cxs a alguns anos, não sei se é um charuto de fácil localização aqui no Brasil hoje em dia.





fotos net.
« Última modificação: 07 Dezembro 2012 às 10:28:15 por jfestrelabr »
Um Abraço!!!!!!!!!!!!!!!!

Membro do RedBar Brazil