Entrevista com Richard Mille no Revolution

  • 13 Respostas
  • 2158 Visualizações
*

Offline flávio

  • *****
  • 9.927
    • Ver perfil
Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Online: 08 Setembro 2016 às 10:11:43 »
O cara não é nada modesto, pois perguntado se mudou a relojoaria, a resposta é... Sim! O que é verdade, não posso negar... Segundo Mille, não há competidores com o seu estilo na sua faixa de valores, por isso vendem bem. Ademais, a marca demonstra raridade, pois só produz cerca de 3000 relógios por ano, o que apela para o emocional (todos são "mosca branca"). Também, a marca cria muitas novidades, além da linha "básica" que possui, o que estimula demanda na faixa de preços. Segundo ele, o custo de seus relógios não é alto por "invenção", mas porque numa produção extremamente limitada o valor de projeto e desenvolvimento não se dilui. Ele acredita, ainda, que são poucas as pessoas que compram seus relógios exclusivamente para "se mostrar". A relação é emocional... Indicou, ainda, que foi difícil tomar a decisão de colocar seus relógios em situações extremas como o tênis, mas ele tinha que correr o risco. Mille acredita que a legitimidade de seus relógios vem do próprio objeto, ao contrário de empresas que dizem ter "heritage", estão calcadas no século XIX, mas constroem seus relógios com métodos novos, como o CNC. Finalmente, ele ressaltou que agora a marca tem focado no novo pilar, o objeto com arte, o que se refletiu no modelo "Grafiti". Aliás, eu tinha um certo preconceito com esse relógio, até ver fotos mais próximas agora e como foi produzido. Que ducaralho! Foram oito meses só para desenvolver a técnica e tinta que seria usada, que não podia ser grossa a ponto de atrapalhar a espessura dos componentes. Detalhe: cada um dos 25 relógios é completamente único e pintado pelo grafiteiro, não por relojoeiros copiando o seu desenho. Muito, mas muito legal isso.


Vejam, num inglês com sotaque francês que, por mais paradoxal que seja, acaba ficando fácil de entender:


https://www.youtube.com/watch?v=mLYeuq33tnQ

*

Offline TUZ40

  • *****
  • 5.316
  • FDP Audacioso
    • Ver perfil
    • NÃO CLIQUE!
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #1 Online: 08 Setembro 2016 às 11:32:22 »
Postei esse vídeo na semana passada por aqui.

Meu respeito pela marca cresceu bastante após ver essa conversa com ele.  :)

Alias, a Revolution sempre tem uns vídeos muito bacanas, e foi só nesse ano que comecei a prestar atenção na publicação.
« Última modificação: 08 Setembro 2016 às 11:34:12 por TUZ40 »
"All your base are belong to us"

*

Offline CHICO

  • ****
  • 350
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #2 Online: 08 Setembro 2016 às 12:56:25 »
Sobre o risco que ele correu ao usar o relógio nos esportes, ele diz que parte do fascínio dos clientes pela marca, é correr o risco, seja usando o relógio ao praticar seus esportes e atividades favoritas, ou o risco de "investir" tanto em uma marca nova no mercado, e não saber exatamente no que vai dar. Ciclistas como Mark Cavendish tem usado o relógio em treino e em corridas, e o Andy Schleck (grande fan da marca, segundo ele) já tinha usado um RM durante um estágio do Tour em 2011.
E no ultimo dia 7, durante a apresentação do evento especial da Apple, em um dado momento (minuto 2:29), um consultor de moda (acredito eu) estava usando um Richard Mille, provavelmente um Rm28; foi o único relógio que apareceu durante o evento, que não era um Apple watch.

Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #3 Online: 08 Setembro 2016 às 13:51:47 »
Ele é muito foda, eu ja curto os relogios a muito tempo, porem não tenho coragem de pagar o que pedem, + como arte acho que valem cada centavo.
Rolex ou Rolex.

Fórum Genérico, respostas genéricas.

*

Offline flávio

  • *****
  • 9.927
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #4 Online: 08 Setembro 2016 às 13:57:19 »
Postei esse vídeo na semana passada por aqui.

Meu respeito pela marca cresceu bastante após ver essa conversa com ele.  :)

Alias, a Revolution sempre tem uns vídeos muito bacanas, e foi só nesse ano que comecei a prestar atenção na publicação.


Papei mosca titi! Foi mal


Flávio

*

Offline flávio

  • *****
  • 9.927
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #5 Online: 08 Setembro 2016 às 14:25:55 »
Por falar no Grafitti, vejam essa reportagem na NBC e o trabalho do cara:

https://www.youtube.com/watch?v=_niEvsFWWVU


Ps. O cara falou na reportagem em 300 relógios. Fui conferir na entrevista acima se havia entendido errado. Não, são 3000 mesmo. Confere?
« Última modificação: 08 Setembro 2016 às 14:29:14 por flavio »

*

BigPaul

Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #6 Online: 08 Setembro 2016 às 17:08:52 »
Sou sou fã da marca, pena que não esta no meu alcance financeiro senão já tinha estes 2 no pulso  ;D

A marca é fantástica, não é pra qualquer um usar, e nem considero uma marca que o cara possa considerar ostentação pois 99% do povo nem sabe o que é um RM então você pode andar no Vale do Anhangabaú em SP que os trombadinhas nem sonha que um relógio desse chega a passar de 200K kkkkkk a reportagem o cara falou certo, a pessoa não compra para se mostrar, compra por entender o que é ter um RM no pulso e por pura paixão e eu sou um deles mas falta o maldito $$$$$$$$$$$

http://richardmille.com/watch/rm-0011-automatic-flyback-chonograph-felipe-massa/?collection=homme


http://richardmille.com/watch/rm-11-02/?collection=homme


Paul

*

Offline Dicbetts

  • *****
  • 2.030
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #7 Online: 09 Setembro 2016 às 09:54:05 »
A qualidade é incontestável, mas o marketing bem feito também.

Só na Olimpíada viu-se pelo menos três atletas de ponta do atletismo usando RMs: Bolt, Blake e Van Niekerk.

E teve ainda o Nadal - isso pelo que pude contar.

Nenhuma outra marca chamou a atenção assim.

Dic


*

Offline JotaA

  • *****
  • 2.429
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #8 Online: 09 Setembro 2016 às 10:12:23 »
O Bolt???

Eu vi o Bolt usando Hublot, inclusive tem um modelo que leva o seu nome.

O Yohan Blake sim, é patrocinado pela RM.

Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #9 Online: 09 Setembro 2016 às 10:42:57 »
Bolt não é patrocinado pela RM, pelo menos não era.
Rolex ou Rolex.

Fórum Genérico, respostas genéricas.

*

Offline Dicbetts

  • *****
  • 2.030
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #10 Online: 09 Setembro 2016 às 11:44:59 »
Bolt não é patrocinado pela RM, pelo menos não era.

Verdade, confundi com a Hublot.

Dic

*

Offline raulfragoso

  • *****
  • 501
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #11 Online: 21 Setembro 2016 às 20:13:06 »
Eu também virei fã da marca exatamente pela audácia mercadológica, inovação tecnológica e a maneira única que o Richard Mille consegue agregar arte e tecnologia aos seus designs. O cara é praticamente um Christian von Koenigsegg da horologia.
"It's easy to make something complicated, but much less easy to make it simple." - François-Paul Journe

Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #12 Online: 28 Setembro 2016 às 11:09:14 »
Sei que é uma marca foda, que investe no desenvolvimento de novas tecnologias e materiais além de fazer vários relógios fodásticos (meu favorito é o primeiro RM27). Contudo, acredito que grande parte de seu sucesso se deva ao fato de ser reconhecida (no seleto mundo dos milionários) como O relógio de gente rica. Inclusive, quando em seu começo, um dos seus slogans era "Prices starting at 200k usd". Ou seja, essa afirmação de que são poucas as pessoas que compram seus relógios para "se mostrar", não acredito muito não. Não pretendo, de forma alguma, tirar o mérito da marca, eles são muito bons, não são, de maneira alguma, produtos meramente "show-off". No entanto, dentro das rodas de quem tem dinheiro, todo mundo conhece a RM e todo mundo sabe que são extremamente caros. Então, acredito, que o seu design único e reconhecível (o shape tonneau dos relógios), aliado ao fato de ser muito caro, estimulou muitas pessoas a comprarem a peça.

Lembrando que essa é a minha opinião.
 
Membro do RedBar Brazil

*

Offline flávio

  • *****
  • 9.927
    • Ver perfil
Re:Entrevista com Richard Mille no Revolution
« Resposta #13 Online: 28 Setembro 2016 às 15:50:50 »
Concordo em grande parte, Thorstein Veblen na alta! Nas camadas sociais ricas, o alto preço estimula demanda.


Flávio