O relógio de mesa de James Ward Packard

  • 2 Respostas
  • 135 Visualizações
*

Offline flávio

  • *****
  • 9.500
    • Ver perfil
O relógio de mesa de James Ward Packard
« Online: 06 Setembro 2021 às 14:41:50 »
Post que lancei agora no Insta

A Patek Philippe surpreendeu a comunidade relojoeira ao apresentar um relógio de mesa para o leilão bianual Only Watch. Não é demais lembrar que um modelo da marca alcançou o preço mais alto da história, cerca de 31 milhões de dólares, no leilão Only Watch de 2019, sendo que toda quantia foi doada para pesquisas sobre distrofia muscular.
O relógio de mesa que será leiloado neste ano tem inspiração em um modelo fabricado para James Ward Packard em 1923. Chamado pela empresa de “Le Presse Papier” (peso de papel), possuía caixa em prata, um mecanismo equipado com corda para oito dias, calendário perpétuo e fases da Lula, além do exclusivo monograma de Packard sob o mostrador. Custou na época cerca de 4 mil dólares (aproximadamente 50 mil dólares atualizados pela inflação). Na obra “A Grand Complication”, de Stacy Perman, há uma curiosa história a respeito deste relógio.
Pouco antes da sua morte, o que ocorreu em 1960, a viúva de James, Elizabeth, pediu a sua sobrinha Katherine que doasse o relógio a um museu. Após a sua morte e como normalmente acontece na execução de testamentos de pessoas endinheiradas, uma desavença surgiu: o sobrinho Dick Gilmer encrencou e disse que gostaria de ficar com o relógio. Ocorre que havia uma menção expressa no diário de Elizabeth no sentido de excluir Dick do testamento, embora não formalizada legalmente. Katherine, então, recusou-se a entregar o relógio e o testamenteiro propôs uma solução “genial” para o impasse: decidir na cara e coroa a posse do bem. Como Elizabeth recusou-se a participar do sorteio, o testamenteiro compulsoriamente vendeu o relógio a Dick por 250 dólares. Em 2002, em um leilão realizado pela Antiquorum, a Patek Philippe pagou cerca de 750 mil dólares pelo relógio, passando a expô-lo em seu museu. No final das contas, de acordo com a vontade de Elizabeth, o relógio acabou em um museu…
Tive a oportunidade de ver o “peso de papel” há alguns anos, em uma visita ao museu Patek Phillippe, que contém não apenas modelos da marca, bem como milhares de exemplares desde o século XVI, um verdadeiro repositório da história da relojoaria.



Re:O relógio de mesa de James Ward Packard
« Resposta #1 Online: 06 Setembro 2021 às 20:37:33 »
O peso de papel mais luxuoso que eu já vi. Belíssima peça!

*

Offline flávio

  • *****
  • 9.500
    • Ver perfil
Re:O relógio de mesa de James Ward Packard
« Resposta #2 Online: 07 Setembro 2021 às 15:14:01 »
O peso de papel mais luxuoso que eu já vi. Belíssima peça!


Com certeza! O modelo novo do Only Watch é mais "luxuoso", pelo menos na aparência. Mas não tem o JWP escrito, se me fiz entender... hahahahah