Ruth Belville e a "Hora Certa" de Greenwich

  • 2 Respostas
  • 180 Visualizações
*

Offline flávio

  • *****
  • 9.561
    • Ver perfil
Ruth Belville e a "Hora Certa" de Greenwich
« Online: 23 Setembro 2021 às 19:14:33 »
Post que fiz agora no @relogiosmecanicos

 Em 1833, quando o Astrônomo Real John Pond instalou a bola vermelha no mastro do Observatório de Greenwich, imaginou que nunca mais seria incomodado pelos fabricantes de cronômetros questionando-lhe a “hora certa”. As manufaturas de relógios em Londres, porém, situavam-se no centro da cidade, e os relojoeiros não conseguiam visualizar Greenwich. Continuaram, portanto, a bater à porta do observatório para ajustar seus relógios. Pond, irritado com isso, teve uma ideia: e se fosse criado um sistema que levasse a “hora certa” aos relojoeiros? Então, em 1836, atribuiu ao seu assistente, John Henry Belville, a tarefa de comparecer às manufaturas de relógios e ajustá-los de acordo com a hora certa de Greenwich, mediante o pagamento de uma taxa anual. Para tanto, Pond entregou a Henry Belville um extraordinário cronômetro fabricado por John Arnold, com variação atestada de apenas 1 décimo de segundo ao dia. Belville, preocupado com assaltos, substituiu a caixa em ouro do relógio por uma de prata e, todas as manhãs, após ajustá-lo em Greenwich, visitava os clientes (quase 200) para informar-lhes a hora certa.
John Belville exerceu a função até 1856, quando faleceu. Sua esposa, Maria Belville, temendo perder os recursos necessários para sua sobrevivência, procurou o novo Astrônomo Real, Biddell Airy, questionando-lhe se poderia continuar o trabalho do seu marido, mesmo não sendo funcionária do Observatório. Um relutante Airy concordou e Maria passou a carregar o relógio fabricado por Arnold pelas ruas de Londres até falecer, em 1892. Nesta época o horário de Greenwich já era transmitido por telégrafo e o serviço de Maria totalmente obsoleto mas… Sua filha, Ruth Belville, continuou visitando Greenwich todas as manhãs – onde tomava chá com o porteiro e ajustava o relógio carinhosamente chamado por ela de “Arnold”  –, e depois seguia para se encontrar com seus diversos clientes. Ruth só aposentou em 1940, com 86 anos. Vi “Arnold”, o relógio, na Corporação de Ofícios dos Relojoeiros de Londres, em 2009. Hoje ele se encontra no Science Museum.
Fotos por Wikipedia


*

Offline igorschutz

  • *****
  • 7.871
  • Santo Anjo do Senhor de piroquinha
    • Ver perfil
    • http://igorschutz.blogspot.com/
Re:Ruth Belville e a "Hora Certa" de Greenwich
« Resposta #1 Online: 23 Setembro 2021 às 20:24:05 »
Daora essa história. Não conhecia.
Opinião é como bunda: todos têm a sua. Você dá se quiser.
Opinião é como bunda: você dá a sua e eu meto o pau.

NÃO ACREDITE NO QUE 'FALAM' AQUI, ESTUDE BEM E TIRE SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES

*

Offline flávio

  • *****
  • 9.561
    • Ver perfil
Re:Ruth Belville e a "Hora Certa" de Greenwich
« Resposta #2 Online: 24 Setembro 2021 às 11:28:30 »
Daora essa história. Não conhecia.


Igor, a história é mais extraordinária do que os 2200 caracteres do Instagram me permitiram escrever. O tal relógio foi feito ainda na época de Arnold pai, para o Duque de Sussex. Ou seja, quando Pond o entregou a John Belville, o relógio já quase 40 anos! Ele havia sido atualizado no meio do caminho, de um escapamento Arnold Pivoted Detent para um Earnshawn (Arnold deve ter se revirado no túmulo quando isso ocorreu, lá pelos anos de 1830). Ou seja, o troço foi usado continuamente (e bem revisado, claro, devido aos contatos de Belville), por mais de 150 anos! E mantendo uma precisão atestada (sempre, pois isso fazia parte do negócio, de um décimo de segundo ao dia, algo que nem nos mais distantes sonhos as empresas de relojoaria conseguem fazer HOJE!).

Mas não só... A Ruth Belville não parou de trabalhar aos 86 anos, em 1940, porque estava cansada ou não queriam mais seus serviços... Ela parou porque havia começado a blitz em Londres e andar nas ruas ficou perigoso, pelas bombas que caiam. Caso contrário ela teria trabalhado até hoje hahahahahahahah

Tem um livro sobe a vida dela na Amazon, mas procure na UK, na americana não tinha, ou era um roubo.


Flávio