Os detonadores Thomas Mercer dos mísseis Polaris

  • 0 Respostas
  • 92 Visualizações
*

Offline flávio

  • *****
  • 9.617
    • Ver perfil
Os detonadores Thomas Mercer dos mísseis Polaris
« Online: 10 Novembro 2021 às 17:12:59 »
Um dos textos mais bizarros que já escrevi mas... Ei-lo
Em 1707, após atacar a base naval francesa de Toulon, durante a Guerra da Sucessão Espanhola, o almirante Sir. Cloudesley Shovell recebeu ordens para retornar à Inglaterra. Na viagem de retorno, Shovell, em consenso com os demais navegadores da esquadra, imaginou que estava próximo da Ilha Ouessant, mas na verdade aproximava-se das Ilhas Scilly. Na época não existia um método preciso para calcular a posição de um navio no mar. A nau capitânia “Association” foi a primeira a chocar-se com as ilhas, seguida pelo resto da esquadra. 2000 vidas e 4 navios de guerra foram perdidos no naufrágio…. A resposta do Parlamento Britânico foi a “Lei da Longitude”, que oferecia um prêmio de 20 mil libras a quem apresentasse um modo prático de determinação da posição de um navio no mar. Em 1773, quase 70 anos depois da instituição do prêmio, John Harrison requereu ao Rei George III o seu pagamento, após comprovar que um relógio podia ser usado como meio prático para determinação da posição.
Com o passar dos anos, surgiram diversos fabricantes especializados na manufatura de cronômetros marítimos, entre os quais destacou-se Thomas Mercer, que fundou sua companhia em 1858. Por mais de cem anos a empresa forneceu cronômetros para a Marinha de Guerra britânica, até que a tecnologia se tornou obsoleta e houve a necessidade de diversificação de atividades.
Nos anos de 1970, a Marinha Real constatou que seus mísseis “Polaris” lançados de submarinos podiam ter suas ogivas atômicas interceptadas pelo sistema de defesa soviético, no caso de um ataque. A Inglaterra, pois, resolveu aperfeiçoar suas “bombas atômicas”, de maneira a aumentar as chances de sucesso em um ataque. Uma preocupação da Marinha era que os pulsos magnéticos causados pela explosão sucessiva de misseis nucleares danificasse os sistemas eletrônicos daqueles que ainda se dirigiam ao alvo. Para tanto, contatou a Mercer, que sugeriu que os detonadores eletrônicos de tempo dos mísseis deveriam ser abandonados, em prol de modelos mecânicos imunes aos pulsos magnéticos. E assim foi feito. Se a Inglaterra houvesse atacado a União Soviética durante a Guerra Fria, as bombas teriam sido acionadas por relógios mecânicos Mercer….