A perseguição aos protestantes e Genebra

  • 0 Respostas
  • 171 Visualizações
*

Offline flávio

  • *****
  • 9.703
    • Ver perfil
A perseguição aos protestantes e Genebra
« Online: 30 Dezembro 2021 às 14:15:54 »
O tema já foi abordado à exaustão num texto formal e longo que escrevi há alguns anos, aqui

https://relogiosmecanicos.com.br/curiosidades/la-chaux-de-fonds-patrimonio-cultural-da-humanidade/

Mas escrevi agora um postzinho rápido no @relogiosmecanicos que também aborda o tema Ei lo


Há alguns anos, o físico “popstar” Michio Kaku, um dos idealizadores da Teoria das Cordas, declarou que os Estados Unidos só não entravam em colapso em virtude da existência de uma “arma secreta”. A América, disse Kaku, “tem uma arma secreta, essa arma secreta é o H-1B. Sem o H1-B, o estabelecimento científico deste país entraria em colapso. Esqueça o Google! Esqueça o Vale do Silício! Não haveria Vale do Silício sem o H-1B. E você sabe o que o H-1B é? É o visto dos gênios, ok? Você percebe que, nos Estados Unidos, 50% de todos os doutorandos são de origem estrangeira. No meu sistema, um dos maiores dos Estados Unidos, 100% dos doutorandos são de origem estrangeira. Os Estados Unidos são um ímã sugando todos os cérebros do mundo (…)”
No século XVI, os governantes acreditavam que as pessoas deveriam pertencer a uma religião da escolha deles e, portanto, a maioria dos protestantes foi perseguida. Calvino, no entanto, teve sucesso na República de Genebra, onde os governantes o apoiaram. Na França, porém, sua doutrina fracassou em conquistar o rei e, no dia 24 de agosto de 1572, aproximadamente 20 mil huguenotes foram massacrados pelos católicos.
A partir de então, Genebra se tornou um refúgio para as vítimas de perseguição católica, entre as quais estavam relojoeiros franceses que constituíam a elite da profissão. A título de exemplo, não havia nenhum relojoeiro inscrito na lista de pagadores de impostos de Genebra no ano de 1464; em 1515, quando o relógio da torre da igreja de São Pedro quebrou, não havia ninguém para consertá-lo…. Em 1600, porém, já estavam cadastrados nos registros da República de Genebra cerca de 30 Mestres Relojoeiros e um sem número de aprendizes. Em 1680, seu número havia crescido para uma centena e mais de 5000 relógios eram produzidos por ano. O final da história todos conhecem…. Conforme ressaltado por Carlo Cipolla, “para construir ou destruir uma indústria, basta atrair ou dispensar uma dúzia de artífices”.
As migrações de mão de obra qualificada, tanto no passado como no presente, são as responsáveis por alterar o equilíbrio econômico entre os países. Pintura de oficina relojoeira antiga de Genebra por @mahgeneve