Exibir mensagens

Esta seção lhe permite ver todas as mensagens deste membro. Note que você só pode ver as mensagens das áreas às quais você tem acesso.


Tópicos - ogum777

Páginas: [1] 2
1
Botequim / ninguém mais usa relógios analógicos, e olha o que dá....
« Online: 19 Setembro 2018 às 18:12:09 »
Esse video de treinamento militar mostra o que dá não saber ler um relógio analógico....



Tinha mais é que pagar 100, 1000...  ;D

Mas é trágico.


2
Fórum principal / 40 anos de Seiko Tuna
« Online: 17 Setembro 2017 às 12:46:23 »
olás!

na imagem, todas as edições do Seiko Tuna, de 1975 até 2015.

história do modelo, nesse link: https://monochrome-watches.com/history-seiko-tuna-dive-watch/

em tempo, quartz aguenta mais porradaria que mecânicos. é fato, gostemos ou não.



3
Fórum principal / Rolex: R de Revolución!
« Online: 26 Outubro 2016 às 15:40:02 »
Já comentado en passant por aqui, mas como não achei mais infos, fui caçar.

Da época em que Rolex tava mais pra G-Shock do que relógio de luxo, ou seja, o preço que neles era pago era talvez, de forma atualizada, 1/5 mais ou menos do que é hoje (mera estimativa), e esses relógios eram procurados para sobreviver à porradaria e pra te serem ferramentas mesmo, nada melhor que um bom Rolex pra se enfiar numa selva, não?



Pois então, Fidelito Castro tinha vários. Charutos, Rolex....

 Em reunião com Nikita Kruschev usava dois, cada um com um horário.




E claro, presenteou El Che com um que marcasse dois horários: GMT-Master 1675, que estava em seu pulso quando é capturado na Bolívia.

Nesse link, boas fotos: https://erwangrey.wordpress.com/2015/03/28/revolutionary-rolex/

Mais umas fotinhos interessantes aqui:  http://moonphase.fr/castro-et-guevara-penser-comme-un-artiste-et-vivre-en-bourgeois-rolex-master-gmt/

É.... o mundo mudou.

Hoje o que faz sucesso em quem pega em armas, principalmente contra os EUA, e usando barba grande, é o baratíssimo F91W da Casio, que em tempos remotos a CIA ensinou os financiados pelo velho Osama lá no Afegansitão a usar como temporizador para bombas... Embora o chefete do Daesh pareça gostar de relógios caros....

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/middleeast/iraq/10949449/Abu-Bakr-al-Baghdadi-ridiculed-for-flashy-wristwatch.html

Mas o velho Osama tava lá, firme e forte, de Casio!












4
Fórum principal / celular vai mesmo matar o relógio?
« Online: 29 Agosto 2016 às 16:06:00 »
saiu no uol um texto sobre 15 coisas que o celular vai substituir, inclusive relógios.

http://tecnologia.uol.com.br/listas/15-coisas-que-o-celular-ja-substitui-ou-pode-substituir-em-breve.htm

meus alunos mais novos nunca usaram relógios e nem querem. só os alguns  mais periféricos que gostam dumas coisas grandes e douradas. e logo abandonam.

tenho a impressão que vai o relógio virar algo como gravata: deixa de ter uso massivo, serve só pra estabelecer um certo grau hierárquico nas posições sociais.  aliás, rolex já fez isso, sobreviveu à crise do quartz acrescentando o "bling factor".  (sub em ouro é
um exemplo).

eu me pergunto: em algumas décadas um casio não exisitirá mais como fábrica de relógios?




5
Fórum principal / Review Technos Godzilla - Acqua 8215AH/5P 800 ATM
« Online: 13 Dezembro 2015 às 22:49:34 »
Review Technos Godzilla

Technos Acqua 8215AH/5P 800 ATM.



- Do apelido: Godzilla é um monstro um tanto desajeitado que vem do fundo do mar, é grandalhão, desajeitado. Mas não é peixe. Por outro lado, esse relógio divide calibre da mesma linha (82XX) com um outro diver, fabricado pela Citizen, conhecido como “Autozilla”.

Detalhes: relógio de mergulho, sem certificação ISO 6425.

Medidas:
Comprimento, de garra a garra:
Largura, sem coroa e guardas: 45mm
Largura total, com coroa e guardas: 50mm
Altura:28mm
Material da caixa: titânio
Material do bracelete: titânio
Cristal: safira
Calibre: Miyota 8215 – automático.
Peso aproximado: 230 gramas.
Profundidade atingível: 800 ATM ~ 8.000m.
Preço pago: +/-  475 dólares na cotação de 04/12/2015, todavia, relógio adquirido no Brasil, com nota.fiscal.
Fabricante: Technos   http://www.technos.com.br/

1. A empresa: seu histórico pode ser melhor lido nesse link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Technos, mas se trata de uma empresa suíça que remonta a 1900, cujos relógios eram exportados para o Brasil nos anos 1950, e em 1994 tem a marca comprada pelo antigo importador, e sua sede transferida para o Brasil.

2. O relógio é testado pelo Instituto Ifremer, de Brest, França, em tanque hiperbárico, para 800 ATM ~ 8.000m. Por não ser um relógio que siga a norma ISO 6425, essa é a medida total. A se lembrar que a norma ISO 6425 exige que o relógio seja capaz de atingir 125% da capacidade a ser certificada,o que diminuiria a certificação desse relógio para 6.400m.

3. O movimento é Miyota, modelo 8215.  Calibre conhecido, antigo, de segundeiro indireto, com corda manual e automática por sistema de carregamento unidirecional. Movimento barato, tido como descartável, e amplamente disponível, o que facilita a manutenção do relógio.

O movimento não prima pelo isocronismo, mas para um mergulho de 20 minutos não é necessária grande precisão.

Especificações do movimento nesse link: http://www.citizen.co.jp/miyota_mvt/download/pdf/spec_6T51_8205_8215_821A.pdf


4. A altura do relógio impressiona. O tamanho não tanto. Mas inobstante a altura, senti o relógio confortável no pulso, apesar da grande coroa e suas respectivas garras. Isso se deve ao fundo um tanto projetado, alto, que afasta a coroa e suas garras do dorso da mão.

Para efeitos de comparação, para meu uso diário, meu Seiko SKX007 em dois dias já machuca o dorso da mão. Faço esse review com esse Technos Godzilla no pulso há mais uma semana, desenvolvendo minhas atividades normais. A se lembrar que me desloco por São Paulo – cidade muito esburacada – em bicicleta, fazendo no mínimo 40 km/dia. Esse relógio, desde que foi comprado, rodou cerca de 280 km já, e não me machucou o dorso da mão, coisa que até agora só meus relógios com coroa à esquerda permitiam uso tão constante.



5. A caixa do relógio é toda em titânio. Isso inclui a coroa e provavelmente a luneta, que é toda revestida em preto. A caixa possui ângulos retos e as garras, quando tocadas por baixo,parecem afiadas, todavia, dada a projeção do fundo, não tocam a pele.

A coroa é larga, com 9 mm de largura, e assinada.

A válvula de escape de gás hélio está às 9 hs, e é automática.



6. O bezel, a luneta, como disse, é em preto, estilo borda de moeda. Tem 60 cliques, e ao menos no meu exemplar, é sem jogo e bem alinhado. Possui refletivos não apenas na marca de 60/0 min, representada por um triângulo invertido, mas também em indexes a cada 5 minutos, sendo algarismos a cada 10: 10, 20, 30, 40, 50min, e barras em 05, 15, 25, 35, 45, 55 min. Tendo material fosforescente em todos esses marcadores, é fácil ver bem os minutos (na luneta) à noite. Mas não tem marcação de um em um minuto até 15 min, como manda a norma ISO 6425

7. Os ponteiros são do tipo espada, com borda prateada e bom material fosforescente. Todavia o segundeiro não possui material refletivo (descumprindo a norma ISO 6426), e é amarelo.

8. O dial, em preto, é canelado, na vertical. Possui, acima, em prateado, brilhante, mas discretamente, a marca “Technos”e embaixo a inscrição “800 ATM”, também em prateado brilhante, mas também em tamanho discreto.

Os índices estão repousados sobre uma espécie de aro que se sobrepõe ao dial. Marcação em segundos marcados em amarelo, e entre eles frações de segundos.

Os índices possuem moldura prateada brilhante, e material fosforescente no centro. Mas são discretos, e todos iguais, com exceção do índice de 3 horas, mais curto para acomodar a janela de data.

O aro interno é em amarelo com marcações de minutos em preto.

O dial parece bem fundo, dado o efeito lente do cristal.

9. O cristal é em safira. Muito espesso, e em domo,projetando-se além da luneta. Cristal em domo evita o efeito espelho possível debaixo de água. Mas dada a espessura, dependendo do ângulo, o cristal dá um efeito azulado ao dial.

10. Fosforescência: ausente no segundeiro, muito boa  nos ponteiros de hora e principalmente de minuto, e na luneta, e pobre nos índices de hora.

O efeito é que, no escuro, fica extremamente fácil saber quantos minutos decorreram de um certo ponto, mas não tão fácil ver as horas. Mas quem está preocupado em ver horas debaixo de água? Em mergulho, ver quantos minutos decorreram é mais importante, que saber o horário.

A se notar na foto abaixo: à esquerda, o Technos Godzilla, à direita, Seiko SKX007. Em qual dos dois é possível ver melhor quantos minutos se passaram do tempo marcado na luneta?




11. O bracelete é com elos e terminais sólidos, presos por parafusos. Estilo Oyster.



12.O fecho do bracelete é em chapa estampada, simples. Todavia com trava e sobretrava, e assinado. No interior da sobretrava, a inscrição: “titanium”.



13. O fundo projeta-se 8mm além da caixa. É rosqueado. Parecem ser dois fundos, um principal e nas bordas, um anel que rosqueia sobre o fundo principal apertando-o mais contra a caixa.

Contem as seguintes inscrições, visíveis:

No centro: “Technos 8215AH” - acima, em tipo menor: “LB001”, e abaixo, em tipo minúsculo e legível apenas com lupa: “tec 426 – ZF MAO AM – Ind. Bras”.

Ao redor, e acima: “All Titanium 800 ATM Water Resitant”, e ao redor, e abaixo: “limited edition”.


A empresa informa que seria o diver que utiliza a tecnologia “air filled” que mais fundo atinge. Mas aqui cabe uma pequena digressão.

“Air filled” quer dizer apenas: cheio de ar. A referência, obviamente, é à outra possibilidade:”oil filled”.

O fato é que se pode aumentar substancialmente a capacidade de resistência de um relógio à pressão enchendo-o de óleo de silicone, sendo essa inclusive uma forma de incrementar resistência aos G-Shocks da Casio. Isso pois se dificulta muito, se é que não se impede, o colapsamento do relógio, que é o que acontece quando se ultrapassa a medida para o qual foi projetado o relógio.

Essa técnica é utilizada em relógios com movimentos a quartz. Exemplos: Sinn UX, Bell & Ross Hydromax e etc (todos na faixa dos 2.000 dólares – lá fora – para efeitos de comparação acrescente frete e 60% sobre a soma do preço e frete, pra calcular os tributos).

Mas tecnologia “air filled” é a utilizada por Rolex e na verdade praticamente presente em qualquer diver com muito menos capacidade feito por qualquer outro fabricante. Nada mais é que a forma tradicional de se fazer relógios, que têm ar no seu interior. E, no caso do relógio de mergulho, aumentar as vedações e a proteção dada pelo material, é a forma de se atingir a resistência a uma certa pressão determinada.

Isso se faz simplesmente aumentando a quantidade de material – acredito que seja o caso desse meu Technos – ou inovando na tecnologia – caso da Rolex como Deep Sea Challenge.

Sobre inovação tecnológica, cabe uma historinha: alemães na II Guerra espantados com uma nova leva de tanques russos contra os quais os projéteis pareciam ricochetear e não perfurar. Os russos, economizando material aumentaram a blindagem simplesmente inclinando as chapas de aço nas carrocerias dos tanques. A referência é o tanque russo T-34 (de 1940) primeiro com blindagem soldada e com chapas de 276 mm mas que inclinadas davam blindagem de 70mm – para se entender, uma chapa de 50mm, inclinada 45 graus, dá superfície a ser penetrada de 140mm.

Há formas e  formas de construir  resistência e vedação. Mas dado o preço desse Technos, acredito que tenham sido simplesmente utilizadas as tecnologias mais simples, de fácil acesso, e nada além, o que explica o tamanho do relógio. Simples caso de superdimensionamento.

O fato do relógio ter caixa e bracelete em titânio ajuda não apenas a tornar o relógio confortável por diminuir o peso, como também eventuais problemas de alergia de contato desaparecem.

O titânio é material fisiologicamente inerte.  Por isso é usado em implantes. Para quem tem alergias de contato com metais - eu tenho, por exemplo, com latão - esse é o melhor material para caixas e braceletes de relógios.

No caso desse relógio especificamente, a liga de titânio não é muito dura, ficando suscetível a riscos, mas que saem com borracha escolar...

Bom. Não é relógio para se comparar com opções bem mais caras. Mas na sua faixa de preço, desconheço relógio todo em titânio, automático, com safira, que sobreviva aos meus descalabros em água nas férias, e que eu não tenha medo de usar por aí, como num dia como  nessa manhã de domingo, que passei com 3 urbanistas explorando a bacia de um rio urbano aqui de SP, passando por bairros caros, comunidades, favelas e etc, sem medo.

Bom, é isso.

6
Fórum principal / nixon 42-20 ceramic - opinião
« Online: 29 Novembro 2015 às 23:47:48 »
que acham desse relógio?

selita sw-200 - clone do eta 2824

200m
safira
revestimento em cerâmica em todo o relógio.



mais dados aqui :
http://www.worldwatchreview.com/2011/04/11/nixon-the-ceramic-42-20/

7
Fórum principal / rolex raros
« Online: 02 Novembro 2015 às 22:38:01 »
desculpem se isso já foi postado aqui.

mas 3 posts dum blog que não conhecia, sobre rolex raros:

http://the-lume.com/2014/06/22/rarest-rolexes-part-1/

http://the-lume.com/2014/06/26/rarest-rolexes-part-2/#comment-376

http://the-lume.com/2014/06/29/rarest-rolexes-part-3/

acho que os aficionados em rolex vão gostar.

(e se for tópico repetido, me desculpem!).

8
Fórum principal / história de um roubo, com ladrão se dando mal.
« Online: 13 Agosto 2015 às 23:46:30 »
eu sou prof universitário, já contei aqui.

esses tempos vi um aluno com um "rolex". sim, uma dessas "réplicas". bem feitinho, de um milgauss branco. ma solhei atentamente e vi que era réplica. mas tinha que ver de perto mesmo, pois ele me mostrou, havia visto meu MM e de longe achou que era um panerai e veio seco saber se era. ficou meio decepcionado por não ter a marca "panerai" estampada, mandou eu comprar ali na paulsita... hehehehe

mas ainda avisei: "cuidado, uma hora ladrão chega, se confunde, depois vc toma um tiro!"

yep. ele saiu andando do shopping paulista, há alguns dias, ao lado da namorada. ladrão chegou junto e uis só o relógio, nem quis o iphone novo que ela tinha na mão. "passa o relógio, só o relógio!". ele passou, claro.

devia ter olheiro no shopping paulista, claro. e devem tê-lo seguido.

o ladrão levou "réplica". o meu aluno, tomou um susto e perdeu um relógio comprado pelo preço dum seiko no mercado livre. e pelo jeito, aprendeu. assim espero. afinal,poderia ter tomado um tiro por conta dum reloginho falseta, né?

9
Eu sinceramente preferiria que este relógio houvesse sido feito em 40 mm, pois o achei relativamente sem harmonia nesse tamanho. De qualquer forma, algo em edição limitada feito em homenagem ao fórum não é de se desprezar. Para quem não conhece o modelo de perto os ponteiros e numeral dez são azulados.

Flávio

poderia-se pensar num outro RM, não? um diver da oriente só que lefty, pra ser diferente? hehehe

10
Fórum principal / safira no orient poseidon
« Online: 28 Setembro 2014 às 01:34:26 »
olás!

o imbecil que ora escreve conseguiu fazer um riscão feio no cristal do poseidon, às 12 hs. tá feio mesmo.
claro, a indicação seria a troca por um original. mas já que vou ter que trocar, alguém sabe se há pronta ou dá pra mandar fazer safira pra meter no danado?

eu gosto do relógio, mas quero deixá-lo um pouco mais resistente às minhas burrices, pois sou um pouco estabanado.

se souberem, podem me indicar onde fazer? estou em sp - sp.

[]s



11
Fórum principal / relógio da apple
« Online: 19 Junho 2014 às 23:04:09 »

12
http://www1.folha.uol.com.br/tec/2014/03/1432493-relogio-pode-se-tornar-tao-util-quanto-celular-diz-executivo-da-motorola.shtml




Relógio pode se tornar tão útil quanto celular, diz executivo da Motorola
YURI GONZAGA
DE SÃO PAULO

31/03/2014 03h30
O lançamento do sistema para dispositivos vestíveis do Google, o Android Wear, e do relógio Moto 360 é o primeiro capítulo de uma possível transição da cultura do smartphone para a cultura do "smartwatch", diz Lior Ron, executivo da Motorola que lidera o projeto do aparelho.

"Há lugar [no mercado] para óculos, há lugar para aparelhos de bolso [celular]. Mas vejo que o relógio pode ser o melhor formato [de computadores portáteis]", disse Ron em entrevista à Folha na quarta-feira passada.

"Sabemos que um dono de smartphone típico checa o aparelho centenas vezes por dia, o que muitas vezes demanda tirá-lo do bolso, fazer o desbloqueio, limpar notificações, interagir com alguma. Com um relógio inteligente, isso fica a uma olhadela de distância", diz.

Moto 360

Comandos de voz para responder mensagens e fazer pesquisas serão uma capacidade do Moto 360 quando for lançado (durante o inverno, entre junho e setembro), garante Ron, assim como potencialmente em qualquer aparelho com o Android Wear.

Antes da Motorola, Ron trabalhou no Google, no Yahoo! e na inteligência do Exército de Israel, país onde nasceu.

LUXO

A Motorola não permitiu a operação do protótipo atado ao pulso do executivo durante a entrevista, mas pode-se dizer que o aparelho –o primeiro "smartwach" redondo– é de fato mais atraente que o Sony SmartWatch ou o Samsung Gear, por exemplo.

"Não queríamos criar um relógio inteligente, mas sim um relógio. Algo que vejo que poderá atrair quem já usa relógio ou quem desejar suas funcionalidades", diz.

Por usar materiais como couro legítimo e aço inoxidável, o aparelho também terá um preço "premium".

"Fizemos o possível para que parecesse ter sido feito por uma empresa de relógios. Não queríamos fazer concessões em qualquer frente; o princípio básico de um vestível é você querer vesti-lo."
Ron afirma que a vida de bateria será prioridade. "Os relógios que já estão aí demandam que o usuário recarregue-o todo dia. Acho que isso é uma falha", diz.

O executivo deu a entender que haverá acionamento por gestos, como girar o pulso para checar a hora, e "talvez" opção de recarga sem fios.

Uma versão mais barata do dispositivo, num lançamento posterior, também é uma das possibilidades em vista.

ENTRE GIGANTES

Neste ano, o Google vendeu a Motorola, empresa que havia adquirido em 2012, à fabricante chinesa Lenovo.

Isso, segundo o executivo, não impediu uma profunda parceria entre as empresas no desenvolvimento do Moto 360 e no do Android Wear, anunciados há pouco menos de duas semanas junto com um relógio da LG. Asus, HTC e Samsung também disseram que terão seus exemplares.

"O Google sabe cativar desenvolvedores. E a mágica estará nos apps que teremos."

13
Fórum principal / unitas 6497 15 rubis?
« Online: 19 Março 2014 às 17:09:55 »
olás!

os conhecedores podem me ajudar?

esse movimemtno da foto pode ser um unitas 6497 mesmo tendo apenas 15 rubis, ao invés de 17? se sim, sabemdizer se a posição dos ponteiros e o tamanho é igual à dos modernos eta 6497?


14
Botequim / chuva em são paulo
« Online: 19 Março 2014 às 00:38:53 »
videozinho no face da enchente de hoje na vila madalena, em sp.

aquele beco era um rio. de vez em quando o rio reaparece.
https://www.facebook.com/photo.php?v=10202183755167597

15
Botequim / voo 370 - teoria da conspiração
« Online: 11 Março 2014 às 16:13:37 »
para quem gosta de teorias da conspiração, o sumiço do boeing 777 da malasyan airlines, no voo 370, é um tema e tanto.

divirtam-se!

http://www.mundogump.com.br/o-que-aconteceu-com-o-aviao/

16
Fórum principal / teste de resistência à profundidade, como é feito?
« Online: 20 Fevereiro 2014 às 15:39:53 »
olás, curiosidade minha, desculpem se já em outro tópico.

como se faz o teste de resistência à pressão? pra estabelecer se é resistente a 50, 100, 300, 1000 mts?

esse teste pode danificar o relógio?

17
olás!

não tenho marina militare (mas terei um quando achar um destro com safira), mas nas minhas pesquisas acabei achando esse texto.

pode ser de ajuda pra quem tem relógios com fundo transparente, e por onde pode entrar umidade.

se já foi discutido aqui, desculpem.

o link:
http://anton-c.blogspot.com.br/2008/08/tutorial-how-to-fix-glassback-with.html

18
Botequim / Casio F-91W - osama era um hipster!
« Online: 29 Outubro 2013 às 13:04:45 »
o casio f-91w é um reloginho barato e prático. funciona. modinha entre hipsters. e entre os apocalipticos da al-qaeda. uma espécie de ak-47 dos digitais.



http://www.theguardian.com/artanddesign/2011/apr/28/casio-f-91w-watch-design-hipsters-al-qaida

Casio's F-91W watch: the design favourite of hipsters ... and al-Qaida
The built-in longevity of this humble 1991 timepiece makes it the weapon of choice for both the retro and the righteous
Share 53


inShare
0
Email
Justin McGuirk
theguardian.com, Thursday 28 April 2011 14.40 BST
Jump to comments (82)
A time to kill ... the Casio F-91W, al-Qaida's preferred choice of wristwatch.
Big time ... Casio's F-91W – the preferred choice of wristwatch everywhere from Shoreditch to al-Qaida training camps. Photograph: Roger Tooth
There is one accessory de rigueur with both skinny jeans on the streets of Shoreditch and an orange jumpsuit and black hood in the searing heat of Guantánamo Bay. The latest WikiLeaks dump has revealed that a disproportionate number of terrorism suspects in America's most notorious prison were apprehended wearing a Casio F-91W, a plastic digital watch you can buy for £8.99 from Argos. Beloved of hipsters and jihadis alike, the model has a rare and divergent customer loyalty that suggests we are in the realm of great design. But are these latest revelations the kiss of death for Casio or marketing gold?

The Casio F-91W was launched in 1991 and remains unchanged 20 years later. Since the 1974 launch of its first wristwatch, the Casiotron, this Japanese calculator maker has come to dominate the digital watch market, rebranding the conventional timepiece as an "information device for the wrist". Casios famously include not only stopwatches and alarm clocks but calculators and calendars. Their calculator versions, with fiendishly small buttons, epitomised the Japanese passion for miniaturisation. But the F-91W was a simpler model, stripped back both in its form and its multifunctionality.

That simple form no doubt accounts for its enduring popularity. In an age when the technological convergence of the "information device" has migrated to the smartphone, the watch is something of an anachronism, worn as much as a fashion statement or status symbol as for its time-telling properties.

The F-91W features the classic seven-segment numerical display on a grey LCD screen. It's a trusty timepiece: water-resistant, extremely durable and accurate to within 30 seconds a month. And while it is possible to buy luxury watches at 10,000 times the price that tick with atomic accuracy, doing so for precision reasons is functionalist logic taken to its absurd extreme.

By contrast, the F-91W's popularity with the young, cool set follows a converse logic that is no less a form of snobbery. On the one hand, the model is consistent with a diehard 80s revivalism, the wrist-based equivalent of a pair of Ray–Bans and a taste for Kraftwerk – and, yes, there is even the requisite touch of irony in sporting a 20-year-old digital watch alongside an iPhone 4. But it's more than that: unlike supplicants in the temple of the luxury Swiss watch, hipsters treat their ability to pull off cheapness as a mark of sartorial confidence.

What, then, do terrorists see in this watch? With 28 inmates of Guantánamo found to have had one in their possession, the F-91W and its metallic twin, the A168WA, were described earlier this week as "the sign of al-Qaida". According to testimony given by one prisoner, the model was useful because it was water-resistant: Muslims wash their arms up to their elbows before prayers. Another, more hapless inmate cited the built-in compass that enabled him to pray towards Mecca. His interrogators will have smelled a rat: there is no compass in an F-91W.

In fact, the model is al-Qaida's equipment of choice as the timing device for improvised exploding devices (IEDs). They're handed out in terrorist training camps, where junior jihadis learn how to wire them up to a circuit board, a couple of 9V batteries and a wodge of plastic explosive. This nasty package is concealed in a standard electrical outlet box, with the F-91W a macabre calling card – programmable up to 23 hours, 59 minutes and 59 seconds, it allows the bombers to put ample distance between themselves and their targets. In truth any cheap, reliable digital watch would do, and it may be an accident of fate that led to the F-91W gaining notoriety: some flunky gets packed off to an electronics shop in Peshawar to bulk-buy cheap digital watches, likes the blue rim around the face of that Casio number and lumps a donkey-load of them over the Afghan border.

When I approached Casio's PR team for some information about their bestselling model, I got a curt email response saying: "Casio is not making any further comment on the F-91W watch at this point in time." Is this a case of too much negative publicity? Is the fact that Osama Bin Laden himself wears an F-91W bad for the brand's street cred? Yes and no. Arguably, it is a ringing endorsement of the product's lethal reliability. Many brands would embrace that cult status.

All of this is a colourful distraction from what is truly remarkable about the F-91W – the fact that it is a digital product that has remained unchanged for 20 years. How many other devices can we say that of, apart from the even more anachronistic calculator? Casio's mainstay comes from a parallel world where designed obsolescence – the sales strategy that has cursed everything from our lightbulbs to our computers – doesn't exist. We desire no improvements or embellishments: it just works. In that first flush of affordable consumer electronics, I'm sure no one dreamed that in two decades the F-91W would still be popular and still relevant – just as in the 1990s, when futurists thought videophones were just around the corner, no one imagined a technology as archaic as texting would take off. We are intoxicated by technological potential, but it's the primitive devices we reward with longevity.

Should we – in solidarity with those Guantánamo inmates who are innocent, and in the spirit of resistance to an illegal detention centre – flock to Argos to buy Casios and flood the obtuse immigration counters of American airports with our F-91W-appointed wrists in an "I am digi-Spartacus" moment? No thanks – life looks a lot better through a pair of retro Ray-Bans than it does through a black hood.

19
Fórum principal / fim dos digitais simples?
« Online: 11 Setembro 2013 às 13:49:26 »
olás!

hoje demanhã meu sócio no escritório pediu ajuda par aencontrar um relógio digital para ele. ele gosta de digitais, mas se encheu de relógios com caixas em resina, plástico e etc, cujas pulseiras arrebentam, e são difícies de repor, são proprietárias e etc.

queria um digital simples, com caixa em aço inoxidável (latão cromado uma hora lhe dá alergia), pra achar pulseira em qq esquina, sem muitas funções, e números não muito pequenos. nada muito rebuscado, nada de tábuas de marés, de um zilhão de infos, em resumo, bem pouco poluído.

e claro, barato. e com razoável resistência à água pq ele esquece de tirar pra lavar as mãos, por exemplo.

pareceu uma tarefa simples... mas qual! simplesmente não achei nada que se encaixasse nesse padrão. o mais perto que cheguei foi um casio a-168, mas cuja caixa é de resina!

nem entre marcas xexelentas eu achei nada. reloginhos baratos é fácil de encontrar, mas que sejam simples duráveis coo ele quer, não se acha!

será que os digitais simples desapareceram pra sempre?


20
Fórum principal / sugestão de militar/flieger pro dia a dia
« Online: 02 Julho 2013 às 12:45:55 »
olás pessoas sábias!

estou caçando algum relógio de alta visibilidade. diâmetro grande, preferencialmente com numerais arábicos, iluminados.

movimento mecânico. resistência à água de no mínimo uns 50 mts, prefericalmente de 100 e acima. se tivesse coroa rosqueada melhor ainda!

e preço não muito alto, pq é pra usar no dia a dia mesmo, em sp.

nenhuma marca especialmente desejada, mas nada que desmonte sozinho, é claro.

alguém tem alguma sugestão?

Páginas: [1] 2